Boca Juniors e River Plate devem fazer uma semifinal arrepiante da Libertadores 2019, depois de abrirem ampla vantagem no jogo de ida. Sem nada sentir na altitude de 2.850 metros de Quito, capital do Equador, o Boca venceu (3 x 0) a LDU, na noite de terça (20), e o River ganhou (2 x 0) do Cerro Porteño, do Paraguai, na noite de ontem (22), em Buenos Aires.

MUITA VANTAGEM – No jogo de volta, na próxima terça (27), em seu temido alçapão de La Bombonera, o Boca pode perder da LDU até por dois gols, que estará com a classificação garantida. O River vai ao Defensores del Chaco, maior estádio de Assunção, podendo perder por um gol do Cerro Porteño, time paraguaio de maior torcida. Buenos Aires já respira o clima da semifinal do mais apaixonante clássico do futebol argentino.

CONSAGRADO – Nos 2 x 0 da noite de ontem (22), no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, Marcelo Gallardo – ídolo da torcida – voltou a ser consagrado, com o apelido “El Muñeco” (O Boneco), gritado em coro. Os gols foram de pênalti, o primeiro convertido por Fernandez logo aos quatro minutos, e o segundo por Borré, aos 19 do segundo tempo. Em ambos o árbitro peruano Victor Hugo Carrillo consultou o VAR.

QUINTA DECISÃO – A expectativa dos torcedores já é coisa de louco em Buenos Aires porque Boca e River irão à quinta decisão nos últimos cinco anos: 1 – Semifinal da Copa Sul-Americana de 2014. 2 – Oitavas de final da Libertadores 2015. 3 – A decisão da Supercopa Argentina de 2017. 4 – As finais de 2018 da Libertadores, com o segundo jogo em Madrid.

Marcelo Gallardo, 43 anos, foi meia do River Plate em 191 jogos, com 44 gols e ganhou seis campeonatos argentinos. Como técnico, a Libertadores de 2015 e 2018, e também foi campeão como jogador em todos os outros times em que atuou: Nacional do Uruguai; os franceses PSG e Mônaco, e o DC United, da Liga dos Estados Unidos.

Imagem: torcedores