Seis vezes campeão e onze vezes finalista da Libertadores, o Boca será o adversário do Santos na semifinal, ao vencer (2 x 0) o Racing, que eliminou o Flamengo, na noite de ontem (23), no estádio da Bombonera, depois de perder (1 x 0) o jogo de ida no estádio de Avellaneda. O Boca fez 1 x 0 aos 22 minutos, com o gol de cabeça do atacante argentino Eduardo Salvio, que aos 10 do segundo tempo sofreu pênalti de Lisandro Lopez, convertido pelo atacante colombiano Sebastian Villa, de 24 anos.

GABRIEL ARIAS, goleiro argentino de 33 anos, 1,87m, que se naturalizou chileno, impediu que o Racing fosse goleado pelo Boca, com defesas precisas e corajosas, em um jogo disputado com muita intensidade na noite de ontem (23), na Bombonera, o mais famoso dos estádios argentinos. Bom lembrar: o Racing, campeão da Libertadores só uma vez, em 1967, conseguiu a classificação no Maracanã, com o goleiro Gabriel Arias defendendo a última cobrança de pênalti do Flamengo, de William Arão.

BRASIL x ARGENTINA – As semifinais da Libertadores 2020 vão reacender a rivalidade entre Brasil e Argentina. Santos e Palmeiras terão a vantagem do segundo jogo em casa. O Santos jogará com o Boca, dia 6 de janeiro, no estádio da Bombonera, em Buenos Aires, e dia 13 na Vila Belmiro. Na outra semifinal, o Palmeiras jogará com o River, dia 5, em Buenos Aires, e dia 12, no Allianz Parque, em São Januário.

SANTOS, O PRIMEIRO – Em 1962 e 1963 o Santos tornou-se o primeiro time brasileiro a ganhar duas vezes consecutivas a Copa Libertadores, depois que o Peñarol, do Uruguai, foi campeão das duas primeiras Libertadores, em 1960 e 1961. O Santos foi também o primeiro bicampeão mundial de clubes, em 62 e 63, mas faz nove anos que ganhou a terceira Libertadores, em 2011, embora tenha participado de quatro decisões. Em 12 jogos com o Boca, o Santos venceu 6, perdeu 4 e empatou 2.

Foto: Getty Images