O jogo da noite de hoje (2) com o Coritiba, no estádio Nilton Santos, é muito complicado para o Botafogo, que precisa ganhar para evitar o sério risco de cair no rebaixamento, depois de só ter conseguido uma vitória em cinco jogos. O time pode ter a estreia do atacante africano Kalou, de 35 anos, no decorrer do jogo, porque ele não atua há nove meses, desde 30 de novembro, quando o Hertha Berlim perdeu (2 x 1) para o Borussia Dortmund, no Estádio Olímpico da capital da Alemanha.

HONDA VOLTA – O técnico Paulo Autuori contará com a volta do atacante japonês Honda, de 34 anos, que fará o nono jogo com a camisa do Botafogo, tentando apenas o segundo gol, de vez que só marcou no 1 x 1 com o Bangu, pela terceira rodada da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, dia 15 de março. Será o primeiro jogo do goleiro Gatito, na volta ao estádio Nilton Santos, depois de ter destruído a cabine do VAR com um pontapé, irritado com os dois gols anulados, após a derrota para o Internacional.

CAMPANHAS – Botafogo, décimo quinto, e Coritiba, décimo quarto, têm seis pontos e estão bem próximos em outros números. O Coritiba ainda não empatou e o Botafogo é o segundo, junto com o Palmeiras, em empates (3), superados só pelo Grêmio (4). O Botafogo só venceu o Atlético Mineiro (2 x 1, de virada) e só perdeu (2 x 0) para o Internacional. O Coritiba perdeu os quatro primeiros jogos, demitiu o técnico, e ganhou os dois últimos, quando saiu da lanterna. O Botafogo tem saldo negativo de um gol (4 a 5) e o Coritiba, de dois gols (5 x 7).

TRÊS PONTOS – O perdedor de Botafogo x Coritiba ficará na dependência de cinco resultados de concorrentes que também tentam evitar a entrada na zona de rebaixamento. O Goiás, com 4 pontos, vai ultrapassar o que perder, desde que vença o Corinthians, com 5 pontos. Outra ameaça é a do Bragantino, com 5 pontos, se vencer o Athletico, em Curitiba. Até mesmo os dois últimos, Sport e Atlético Goianiense, com 4 pontos, devem deixar o Botafogo com o sinal de alerta ligado. A diferença é bem pequena.

TRANSIÇÃO – O Botafogo vive uma fase de transição, do departamento de futebol para S/A, projeto em fase final de aprovação, segundo o gestor Carlos Augusto Montenegro, presidente do último título de campeão brasileiro do clube em 95, e as saídas recentes do lateral Danilo Barcelos, que foi para o Fluminense; do zagueiro Rhuan e do meia Cicero, representarão economia e até poderão permitir reposições, desde que os jogadores a serem contratados se ajustem aos valores atuais do clube.