Escolha uma Página

Como há vinte e dois anos, quando se enfrentaram pela última vez em Bragança Paulista, em 26 de agosto de 98, Bragantino e Botafogo não souberam ganhar e dividiram o prejuízo no 1 x 1 da noite de ontem (12), que se ajustou bem ao que pouco produziram. A estreia do Botafogo mostrou que a força ofensiva do time praticamente inexiste e que o técnico Paulo Autuori precisa de reforços para uma campanha longa, sob pena de chegar às últimas rodadas fazendo contas para não ser rebaixado.

BEM JUSTO – O Bragantino fez 1 x 0 logo aos seis minutos, com o gol de joelho de Alerrandro, completando na pequena área a assistência de cabeça de Artur, e que pouco depois, aos 16, acertou a trave. Na volta do intervalo, antes de Mateus Babi se antecipar ao goleiro e marcar de carrinho o gol de empate, aos 20, o Botafogo só não sofreu o segundo gol porque Gatito fez boa defesa em finalização de Mateus Jesus. No minuto final, Bruno Nazario não soube dar a vitória ao Botafogo. Resultado bem justo.

BRAGANTINO – Cleiton, Aderlan (Weverton), Leo Ortiz, Fabrício e Edmar (Bruno); Ryller (Ytalo), Mateus Jesus e Claudinho; Arthur, Alerrando e Morato (Weverson). Técnico – Felipe Conceição. O Bragantino repetiu o 1 x 1 da estreia com o Santos, na Vila Belmiro, e será visitante no próximo jogo, domingo (16), com o Bahia, que terá a chance da segunda vitória em casa, após ganhar (1 x 0) na noite de ontem (12) do Coritiba, com o gol de Rodriguinho, de pênalti.

QUATRO CARTÕES – Bragantino 1 x 1 Botafogo teve boa atuação do árbitro André Luis Castro, da Federação Goiana, que aplicou quatro cartões amarelos. O único para jogador do Botafogo, aos 43 do primeiro tempo, quando Mateus Babi atingiu a cabeça do zagueiro Leo Ortiz com o cotovelo. Os três do Bragantino: Mateus Jesus, aos 21, por um carrinho em Benevenuto, e Ryller, aos 24, por falta em Bruno Nazario. O único cartão do segundo tempo foi para Fabrício, do Bragantino, por reclamação, no minuto final.

Fotos: Fogãonet, UOl Esportes, Lance, Gazeta Esportiva e Yahoo Esportes.