Escolha uma Página

Três dias depois de ser rebaixado pela terceira vez, após a derrota (1 x 0) para o Sport, o Botafogo voltou na noite de ontem (8) ao estádio Nilton Santos, e ao sofrer a goleada (5 x 2) para o Grêmio, que não ganhava há sete jogos, completou o nono jogo sem vitória – 8 derrotas, 1 empate -, que o mantém em último, com 24 pontos dos 105 disputados em 35 jogos, como o time que menos venceu (4) e o que mais perdeu (19), além de ser o segundo que menos gols marcou (30) e mais gols sofreu (58).

PRIMEIRO 5 x 2 – O Botafogo não fez gol em 13 dos 35 jogos, com quatro 0 x 0, com Fortaleza, Coritiba, Santos e Goiás, e sofreu cinco gols em um jogo, pela primeira vez, na derrota de ontem (8) para o Grêmio, que havia alcançado o máximo nos 4 x 0 sobre o Vasco. O primeiro 5 x 2 do Brasileiro de 2020 foi o jogo em que o Grêmio mais marcou e o Botafogo mais sofreu gols. O Botafogo só fez mais 1 gol (30) que o Coritiba (29, pior ataque), e sofreu só menos 2 gols que o Bahia (60, defesa mais vazada).

11 EM CASA – A goleada que sofreu para o Grêmio foi a décima primeira derrota do Botafogo no estádio Nilton Santos, oitava no returno: 1 x 2 Bragantino, de virada, e Fortaleza; 0 x 2 Corinthians e Athletico Paranaense; 1 x 3 Atlético Goianiense, de virada; 0 x 1 Flamengo e Sport, e 2 x 5 Grêmio. No turno, o Botafogo só havia perdido três jogos em seu estádio: 1 x 2 Bahia, 0 x 3 Internacional e 2 x 3 Vasco. As duas únicas vitórias em casa foram sobre Atlético Mineiro e Palmeiras, ambas por 2 x 1. O time empatou cinco como mandante no returno: 0 x 0 com Coritiba, Santos e Goiás; 1 x 1 com o Fluminense e 2 x 2 com o Ceará.

AS 4 VITÓRIAS – Das quatro vitórias do Botafogo, duas em casa no turno e duas como visitante no returno, por coincidência, todas por 2 x 1: no Atlético Mineiro, na quarta rodada, em 20 de agosto, e no Palmeiras, na décima quarta rodada, em 8 de outubro; fora de casa, no Sport, na décima quinta rodada, em 11 de outubro, e no Coritiba, a única de virada, na vigésima sexta rodada, em 19 de dezembro. Desde então, o Botafogo não voltou a vencer e acumula oito derrotas e um empate.

OS 9 SEM VENCER – Depois da última vitória, em 19 de dezembro, o Botafogo perdeu 8 e empatou 1 jogo, na ordem: 0 x 2 Corinthians e Athletico Paranaense; 0 x 3 Vasco; 1 x 2 Santos; 1 x 3 Atlético Goianiense; 0 x 2 Fluminense; 1 x 1 Palmeiras; 0 x 1 Sport e 2 x 5 Grêmio, na noite de ontem (8). O Botafogo jogará no próximo sábado (13), em Goiânia, com o Goiás; dia 22 no estádio Nilton Santos com o São Paulo, e na última rodada, dia 25, com o Ceará, na Arena Castelão, em Fortaleza.

OS 5 x 2 – O Grêmio fez 2 x 0 no primeiro tempo, com Alisson aos 7 e Jean Pyerre aos 17, e na volta do intervalo, 3 x 0, com o argentino Diego Churin convertendo aos 9 o pênalti de Romildo em Pepê. Rafael Navarro fez o primeiro do Botafogo aos 11, com boa assistência de Cesinha. O Grêmio ampliou para 5 x 1, com dois gols de Mateus Henrique, aos 29, da entrada da área, e aos 33, com passe de letra de Isaque. De cabeça, aos 37, Mateus Babi fez o segundo do Botafogo, após cruzamento de Kevin.

BOTAFOGO – Diego Loureiro, Kevin, Kanu, David Sousa e Hugo (Benevenuto); José Welison (Kayque), Caio Alexandre, Cesinha (Warley) e Romildo (Mateus Babi); Mateus Nascimento e Rafael Navarro (Lecaros). Técnico interino – Lucio Flavio. Último com 24 pontos em 35 jogos – 4 vitórias, 12 empates, 19 derrotas, saldo negativo de 28 gols (30 a 58) -, o Botafogo jogará com o Goiás, sábado (13), no estádio da Serrinha, em Goiânia.

GRÊMIO – Paulo Victor, Vanderson (Ferreira), Paulo Miranda, David Braz e Bruno Cortez; Maicon (Lucas Silva), Mateus Henrique (Thaciano) e Jean Pyerre; Alisson (Rodrigues), Diego Churin (Isaque) e Pepê. Técnico – Renato Portaluppi. Depois de sete jogos sem vencer, o Grêmio está em sexto lugar com 56 pontos em 35 jogos – 13 vitórias, 17 empates, 5 derrotas, saldo de 14 gols (51 a 37) – e o próximo jogo será domingo (14) com o São Paulo, na Arena Grêmio, em Porto Alegre.

SEM CARTÃO – Embora tenha marcado 32 faltas – 14 do Botafogo, 18 do Grêmio -, o árbitro Rodrigo Dalonso Ferreira, paulistano de 38 anos, da Federação Catarinense, não aplicou sequer um cartão amarelo. O jogo teve sete gols, mas os chutes na direção do gol não foram além de treze: 6 do Botafogo, 7 do Grêmio, que teve mais acerto nos passes (467 a 408). Só dois impedimentos foram marcados, um de cada time.

Foto: Odia