Em sua primeira virada – oitava do Brasileirão 2019 -, o Botafogo subiu três posições, ultrapassou o Flamengo e terminou a oitava rodada no G4, em quarto com 15 pontos, igual ao Atlético Mineiro, mas em desvantagem no saldo de gols (3 a 2), com os 2 x 1 sobre o CSA, que sofreu a quarta derrota e caiu para o penúltimo lugar, no estádio Rei Pelé, em Maceió. O segundo tempo teve sete minutos de acréscimos e o gol da vitória do Botafogo, de Alex Santana, foi marcado aos 49.

BEM EQUILIBRADO – O resultado e a vitória só conseguida nos acréscimos refletem bem o equilíbrio do jogo, em boa parte pela atuação dos goleirosJordi, emprestado pelo Vasco ao CSA, que fez pelo menos três defesas daquelas tidas como impossíveis, e Diego Cavalieri, que não jogava desde março e demonstrou não sentir a falta de ritmo, em seu terceiro jogo pelo Botafogo. Sem tanta criatividade no primeiro tempo, os times foram para o intervalo sem gol.

MUITAS CHANCES – No segundo tempo, além dos três gols, houve muitas outras chances. Logo aos seis minutos, Diego Souza acertou o travessão. O meia-atacante é o terceiro artilheiro do Botafogo desde que o campeonato passou a ser em pontos corridos, em 2003, com 101 gols. Em 2019, o Botafogo tem o quarto pior ataque com 8 gols, mas conta com a terceira defesa menos vazada (6). O técnico Eduardo Barroca voltou a ressaltar o empenho do time para conseguir vitória quase impossível.

BOA ESTREIA – O CSA decidiu tomar a iniciativa das ações na volta do intervalo e chegou ao gol aos 16 minutos, o primeiro marcado em onze jogos pelo lateral Carlinhos. A boa jogada foi criada pelo estreante Jonathan Gomez, de 29 anos, emprestado pelo São Paulo. O meia argentino fez excelente lançamento e Carlinhos concluiu de cabeça. O Botafogo reagiu, mas só conseguiu o empate aos 37, em jogada de Diego Souza e Pimpão, que deu assistência precisa para o quarto gol do meia Cícero.

A VIRADA – O gol de empate do Botafogo tornou o jogo ainda mais corrido, com os times mostrando bom condicionamento fisico. O gol da quinta vitória alvinegra foi aos 49, após o cruzamento preciso do lateral Fernando, que encontrou Alex Santana na área. O meia teve rapidez para finalizar e decidir o jogo, que parecia terminar com o primeiro empate do Botafogo e o quarto do CSA, que sofreu, em casa, a primeira derrota para um time de ponta, depois de empatar com Palmeiras e Santos.

BOTAFOGO – Diego Cavalieri, Fernando, Joel Carli, Gabriel e Gilson; Alex Santana, João Paulo (Lucas Campos, 24 do segundo tempo) e Cicero; Luis Fernando (Pimpão, 24 do segundo tempo), Erik (Rickson, 40 do segundo tempo) e Diego Souza. Foi a primeira vitória do Botafogo, fora do Rio, no Brasileirão 2019.  Quarto com 15 pontos, o Botafogo tem 5 vitórias e 2 empates, 8 gols marcados e 6 sofridos. O próximo jogo é quarta (12) com o Grêmio, no estádio Nilton Santos.

CSA – Jordi, Apodi, Gerson, Castan e Carlinhos; Naldo, Jonathan Gomez (Robinho, 39 do segundo tempo) e Didira; Maranhão (Madson, 17 do segundo tempo), Mateus Savio (Dawhan, 33 do segundo tempo) e Cassiano. O técnico carioca Marcelo Cabovê a situação do time bem complicada com a quarta derrota e a queda para o penúltimo lugar, mas vai tentar reanimar os jogadores para o jogo de quarta (12) com o Flamengo, no estádio Rei Pelé, em Maceió.

TRÊS CARTÕES – O árbitro Jean Pierre Lima, da Federação Gaúcha, só fez a revisão no VAR -sigla do árbitro de video em inglês – aos 12 do segundo tempo, quando os jogadores do Botafogo pediram pênalti (falta do lateral Carlinhos no meia João Paulo), não confirmado. Pimpão foi o único do Botafogo advertido com cartão amarelo. Do CSA, Castan, Carlinhos e Naldo, todos no segundo tempo.

Foto: O Tempo