Mesmo distante da atuação avassaladora de domingo (28), quando goleou (6 x 2) a Cabofriense, o Botafogo se garantiu na semifinal da Taça Rio com o 0 x 0 da noite de ontem (1) com a Portuguesa, no estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador. A novidade foi a volta de Paulo Autuori à área técnica, com efeito suspensivo, depois de duras críticas aos dirigentes da Federação de Futebol, de vez que ele assistiu do alto o jogo em que o time goleou a Cabofriense.

SETE CARTÕES – O que mais chamou a atenção no 0 x 0 foi o total de sete cartões amarelos aplicados pelo árbitro Rafael Sá, ainda que as faltas tenham sido normais. Foram quatro advertidos do Botafogo – Fernando, Benevenuto, Honda e Bruno Nazário – e três defensores da Portuguesa, os zagueiros Dilsinho e Marcão, e o lateral Mauro Gabriel. Não há exagero em dizer que houve mais advertências com cartão amarelo do que chances de gol dos times, pouco objetivos.

BOTAFOGO – Diego Cavalieri, Fernando (Barrandeguy), Benevenuto, Kanu e Guilherme; Caio Alexandre, Honda (Alex Santana) e Bruno Nazário (Cortez); Luis Fernando (Ênio) e Pedro Raul. O Botafogo terminou em segundo no Grupo A, com 8 pontos – 2 vitórias, 2 empates, 1 derrota – e saldo de dois gols, com 9 marcados e 7 sofridos. 

PORTUGUESA – Milton Rafael, Luis Gustavo, Dilsinho, Marcão e Mauro Gabriel; Diego Guerra, Henrique (Matheus) e Romarinho (Pimenta); Clay, Adriano e André Silva (Maicon). O técnico Rogerio Corrêa, de 37 anos, ex-zagueiro, está há 13 meses no comando do time, com bom trabalho. Ele começou garoto na Portuguesa, na equipe fraldinha de futsal, e também praticava judô. 

Foto: André Durão