Se não vencer o Goiás na abertura da décima terceira rodada da Série B, na noite de hoje (20), no estádio Nilton Santos, o Botafogo ficará sob ameaça de se aproximar ainda mais dos quatro últimos, principalmente se houver vencedor no jogo que Remo e Cruzeiro disputarão no mesmo horário, no estádio Baenão, em Belém do Pará. Botafogo e Remo têm 13 pontos e 3 vitórias, mas o saldo do Remo é de 6 gols (9 a 3) e o Botafogo tem saldo 0 (16 a 16).

CRUZEIRO – Décimo sexto com 11 pontos, 2 vitórias e saldo negativo de 6 gols (16 a 22), o Cruzeiro só ultrapassa o Botafogo se vencer o Remo. Outra ameaça ao Botafogo, embora menos provável, é a do Brasil de Pelotas, décimo quinto com 11 pontos, 2 vitórias e saldo negativo de 3 gols (8 a 11), se vencer o líder Náutico, único invicto, amanhã (21), no estádio dos Aflitos, no Recife. 

SEM TÉCNICO – Ainda sem definição quanto ao novo técnico, uma semana depois de demitir Marcelo Chamusca por maus resultados, o Botafogo será dirigido pelo segundo jogo consecutivo pelo assistente Ricardo Resende. Ele recebeu duras críticas pelas substituições na virada (2 x 1) que levou do Brusque, no último sábado (17), no interior catarinense. O técnico que o Botafogo quer é o gaúcho Lisca, sem clube desde que deixou o América Mineiro. 

APÓS 5 VITÓRIAS, 5 empates e 2 derrotas, o Goiás demitiu o técnico paulista Pintado, de 55 anos, ex-volante do São Paulo, menos de quatro meses depois de contratá-lo. Ele reconheceu que a atuação do time foi inaceitável no 0 x 0 do último sábado (17), em Goiânia, com o Londrina, último colocado. A equipe será dirigida no jogo de hoje (20) com o Botafogo pelo assistente Glauber Ramos, de 46 anos, integrante da comissão técnica permanente do clube. O jogo dos técnicos interinos será apitado por Igor Junio Benevenuto, de 40 anos, da Federação Mineira.