O Botafogo voltou a vencer depois de quatro derrotas consecutivas e cinco meses sem fazer três gols em um jogo, mas sem sair do décimo segundo lugar após os 3 x 1 sobre o Goiás, na noite de ontem (9), no estádio Nilton Santos. Com 30 pontos em 24 jogos, manterá a posição, mesmo que o Vasco (27) vença a Chapecoense, na noite de hoje (10), por ter mais uma vitória.

PRIMEIRO GOL – O Botafogo já saiu em vantagem para o intervalo, com o primeiro gol do zagueiro Gabriel, 24 anos, 1,81m, mineiro de Pedro Leopoldo, emprestado pelo Atlético até 2020. Ele aproveitou bem o escanteio do meia João Paulo, aos 32, com leve desvio de Marcelo, seu companheiro de zaga. Foi o primeiro gol que o Goiás sofreu no returno.

BEM MELHOR – O Botafogo voltou bem melhor do intervalo e ampliou aos 20, com o gol de cabeça do meia João Paulo, após rebote do goleiro em chute de Gustavo. O Botafogo não se abateu com o segundo gol contra do zagueiro Marcelo, aos 28, e consolidou a vitória com o terceiro gol, aos 36, o primeiro do ano do meia chileno Leonardo Valencia.

SUSPENSOS – O Botafogo entrou com sete pendurados e quatro foram suspensos ao receber o terceiro cartão amarelo: Cicero, Diego Souza, Pimpão e Marcelo cumprirão a suspensão no jogo de sábado (12) com o Palmeiras, em São Paulo, e voltarão no clássico da rodada seguinte com o Vasco, em São Januário.

MENOR PÚBLICO – Com as quatro derrotas consecutivas que o time havia sofrido e a noite de tempo chuvoso no Rio, o Botafogo recebeu seu menor público no estádio Nilton Santos, no Brasileirão 2019: 4.898 pagantes. R$82.308,00. No jogo do turno, em Goiânia, o Botafogo havia perdido (1 x 0), com o gol do atacante Kayke, pouco depois negociado com o Qatar Sports.

BOTAFOGO – Diego Cavalieri, Fernando, Marcelo, Gabriel e Yuri (Lucas Barros, 19 do segundo tempo); Gustavo, Cicero (Alan Santos, 37 do segundo tempo), João Paulo e Diego Souza; Pimpão e Luis Fernando (Valencia, 34 do segundo tempo). Técnico – Bruno  Lazaroni. Décimo segundo com 30 pontos – 9 vitórias, 3 empates, 12 derrotas -, o Botafogo diminuiu para quatro o saldo negativo de gols, com 22 marcados e 26 sofridos.

O BOTAFOGO só havia marcado três gols ou mais, em um jogo, no primeiro e último jogos de maio, ambos no estádio Nilton Santos: 3 x 2 no Bahia, na segunda rodada, dia 2, e 4 x 0 no Sol de América, do Paraguai, dia 29, na fase de grupos da Copa Sul-Americana.

GOIÁS – Tadeu, Yago Rocha (Marlone, intervalo), Fabio Sanches, Rafael Vaz e Jeferson; Gilberto (Rafinha, 43 do segundo tempo), Yago Felipe e Leo Sena; Leandro Barcia (Kaio, 34 pontos), Rafael Moura e Michael. Técnico – Ney Franco. Com 33 pontos – 10 vitórias, 3 empates, 11 derrotas, 24 gols pró e 35 contra -, o Goiás só perderá o décimo lugar se o Atlético Mineiro, com 31 pontos, vencer hoje (10) o Flamengo.

O GOIÁS era o único do returno com 100% de aproveitamento, com quatro vitórias consecutivas e sem sofrer gol, depois de 3 x 0 no Fluminense e 1 x 0 no São Paulo, Cruzeiro e Ceará. O time quer aproveitar os dois próximos jogos consecutivos em Goiânia, com CSA e Corinthians, para ganhar seis pontos.

Foto: ESPN