O tempo passou mesmo. Não há parâmetro, no jogo a ser disputado amanhã, penúltimo domingo (21) de julho, com os jogos que marcaram a época de ouro do Botafogo e do Santos, com mais da metade da seleção brasileira em campo. Só o estádio, com o nome do maior lateral-esquerdo de todos os tempos, faz lembrar a história de Garrincha, Didi, Quarentinha, Amarildo e Zagallo bombardeando de um lado, e Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe torpedeando de outro. Quanta saudade!

HOMENS DE OURO – Tudo bem que Nilton Santos e Zagallo foram os únicos titulares em 58 e 62, mas o Botafogo também teve os destaques de Didi e Garrincha, que estreou com Pelé, e os dois detêm o recorde mundial de nunca terem perdido, jogando juntos, pela seleção (36 vitórias, 4 empates). E o de Amarildo, em 62, quando Pelé se contundiu. O Santos teve Gilmar, titular de ponta a ponta, Zito – um monstro! – e, como diz Pepe, “Pelé não conta porque era de outro planeta”.

MAIORES PÚBLICOS – Foi em duas vitórias (3 x 0 e 3 x 1) do Botafogo sobre o Santos o registro dos maiores públicos que atraíram ao Maracanã: 102.348 pagantes, em 3/1/62, e 102.260 pagantes, em 31/3/63. Em 63, o Santos eliminou o Botafogo (4 x 0) nas semifinais da Libertadores. Em 95, o Botafogo ganhou a decisão do Campeonato Brasileiro com o Santos (2 x 1 no Maracanã, 1 x 1 no Pacaembu). As maiores goleadas: Botafogo 5 x 2, em 12/1/55, na Vila Belmiro; Santos 5 x 0, em 2/4/63, no Maracanã.

REALIDADE 2019 – A situação do Santos é mais favorável que a do Botafogo, como bem demonstra a diferença de posição e de pontos. Vice-líder com 23, o Santos ganhou 7 jogos, empatou 2 e só perdeu 1, por sinal, feio (Palmeiras 4 x 0). O saldo é de seis gols (13 a 7). Sexto com 16 pontos, o Botafogo venceu 5 jogos, empatou 1 e perdeu 4, e é, junto com o Grêmio (12 a 12), o time sem saldo (8 a 8). Será que vale acordar cedo, domingo, para ver Botafogo x Santos, às 11 horas? A bilheteria dará a resposta.

DESEMPATE AMANHÃ – Botafogo e Santos se enfrentarão amanhã (21) pela nona vez no Estádio Nilton Santos, em tom de desempate. Em oito jogos, cada time ganhou três e houve dois empates. No total do Campeonato Brasileiro, o jogo 63, com pequena vantagem do Santos (22 vitórias) sobre o Botafogo (20 vitórias,mesmo número de empates). O Botafogo terá a volta do meia Cicero. O irriquieto Jorge Sampaoli pode repetir, pela primeira vez, a escalação do 1 x 0 na vitória sobre o Bahia.