Escolha uma Página

A seleção brasileira teve atuação ruim e ganhou sem brilho (2 x 0) da Arábia Saudita, no amistoso desta sexta (12), no estádio Rei Saud, da Universidade de Riad, maior cidade e capital do segundo maior país árabe do mundo, depois da Argélia. Os gols foram de Gabriel Jesus aos 43 do primeiro tempo e de Alex Sandro, nos acréscimos, aos 50 do segundo tempo, após escanteio de Neymar, que também deu a assistência para o primeiro gol.

Mantido na Copa do Mundo, em que decepcionou com atuações sempre muito ruins, Gabriel Jesus voltou a jogar mal e nem mesmo o reencontro com o gol serviu para diminuir o brilho de seu desempenho na vitória sobre a Arábia Saudita. Foi substituído aos 28 do segundo tempo por Richarlison, do Everton, de Liverpool, que também nada acrescentou. Gabriel Jesus tem ficado na reserva do Manchester City, campeão inglês.

A seleção só fez quatro substituições, todas no segundo tempo: Ederson, Fabinho, Marquinhos, Pablo e Alex Sandro; Casemiro (Walace, aos 20), Fred (Lucas, intervalo), Renato Augusto e Philippe Coutinho (Arthur, aos 27); Neymar (cap) e Gabriel Jesus (Richarlison, aos 28). Na beira do campo, o técnico Tite gritou muito e não demonstrou satisfação ao fim do jogo com o desempenho. 

EXPULSÃO – O goleiro Mohamed Al-Owais, 1,87m, foi expulso aos 40 do segundo tempo, pelo árbitro Danny Makkeli, 35 anos, na Fifa desde 2011 e integrante da Polícia Federal holandesa, ao colocar a mão na bola fora da área. Al-Owais estava bem, mas saiu triste do jogo, dois dias depois de comemorar 27 anos. Ele foi do Al-Shabbab de 2012 a 2017 e se transferiu este ano para o Al-Ahli, time mais popular do país.

TÉCNICO – A seleção da Arábia Saudita é dirigida desde novembro de 2017 pelo argentino, naturalizado espanhol, Juan Antonio Pizzi, 50 anos, atacante que fez 8 gols em 22 jogos pela seleção da Espanha, entre 94 e 98. Ele foi o técnico saudita na Copa 2018, dois anos depois de ter ganho com a seleção argentina a Copa América.

BRASIL x ARGENTINA – O clássico das Américas será revivido no amistoso da próxima terça (16). Os argentinos golearam (4 x 0) o Iraque, ontem (11), e o técnico Lionel Sebastián Scaloni, 40 anos, lateral-direito de 95 a 2015, foi da seleção na Copa de 2006, depois de jogar no Estudiantes e em cinco times europeus: Deportivo La Coruña, West Ham, Racing Santander, Lazio e Atalanta. Dirigiu a seleção campeã mundial sub-20, em 97, na Malásia.

NA GOLEADA sobre o Iraque, o atacante Lautaro Martinez, 21 anos, que o Racing vendeu para a Inter de Milão, marcou o primeiro. O segundo gol foi do meia Roberto Pereyra, 27 anos, que a Juventus, campeã italiana, vendeu ao inglês Watford. O terceiro foi do zagueiro German Pezzella, 27 anos, ex-River, Bétis e atualmente na Fiorentina, e o meia Franco Cervi, 24 anos, canhoto, no Benfica desde 2016, fechou a goleada.

CROÁCIA e INGLATERRA 0 x 0 – Em outro amistoso sem brilho nesta sexta (12), a Croácia – vice-campeã do mundo em 2018 – e a Inglaterra – derrotada pela Bélgica na decisão do terceiro lugar – ficaram no 0 x 0, no estádio HNK Rujevica, cidade portuária no mar Adriático e terceira maior da Croácia. O jogo foi sem público, punição à Croácia pelo desenho de um símbolo do nazismo no gramado do estádio Poljud, na cidade de Split, antes de amistoso com a Itália, em 2015.

GOLEADA DA ESPANHA – Um dia depois, ainda repercute na Europa a goleada (4 x 1) da Espanha sobre o País de Gales, na noite de ontem (11), diante de 50 mil torcedores, no Principality Stadium, em Cardiff, a mais nova capital europeia. O atacante Paco Alcácer, 25 anos, emprestado pelo Barcelona ao Borussia Dortmund, marcou dois gols. O zagueiro Sergio Ramos, 32 anos, capitão do Real Madrid, fez o segundo, e Marc Bartra, 28 anos, atacante do inglês Burnley, fez 4 x 0.

LUIS ENRIQUE assumiu a seleção após a Copa do Mundo e está merecendo elogios pelo futebol compacto e muito ofensivo que a Espanha vem apresentando. Ele foi meia campeão no Barcelona e no Real Madrid.

Fotos: Pedro Martins / MoWa Press