Quatro dias depois de apresentação ruim e 1 x 0 insosso na Venezuela, a seleção brasileira melhorou um pouco e terminou 2020 na liderança das eliminatórias, com 100% de aproveitamento em quatro jogos, ao fazer 2 x 0 no Uruguai, na noite de ontem (17), no estádio Centenário, em Montevidéu. O jogo foi decidido no primeiro tempo, com os gols do meia Artur aos 34, com assistência de Gabriel Jesus, e do atacante Richarlison, aos 45, completando de cabeça o cruzamento de Renan Lodi.

TRAVESSÃO – Mesmo sem o artilheiro Luis Suarez, que testou positivo, o Uruguai teve duas boas chances no primeiro tempo. Darwin Nuñez, substituto de Suarez, acertou o travessão logo aos 5 minutos, o que o zagueiro Diego Godin repetiu em cabeçada aos 47. A força uruguaia, na tentativa de pelo menos chegar ao empate, acabou aos 27 do segundo tempo, quando Cavani foi bem expulso por falta dura em Richarlison, e aos 27, quando o lateral Cáceres teve gol bem anulado por impedimento.

EDERSON, Danilo, Marquinhos, Tiago Silva, capitão pelo terceiro jogo consecutivo, e Renan Lodi; Douglas Luiz (Bruno Guimarães), Artur e Everton Ribeiro (Paquetá); Gabriel Jesus, Firmino e Richarlison (Everton) – a seleção que lidera as eliminatórias para a Copa de 2022 – 4 jogos, 4 vitórias -, com o segundo ataque mais positivo (12), e dividindo com a Argentina, com dois gols, a defesa menos vazada. Próximos jogos em março, com a Colômbia, em Bogotá, e com a Argentina, no Brasil.

MARTIN CAMPAÑA, Caceres, Gimenez, Godin e Oliveros; Betancur (Braian Rodriguez), Torreira (Arambarri), De La Cruz (Jonathan Rodriguez) e Nandez; Darwin Nuñez e Cavani – a seleção uruguaia, quinta colocada com 6 pontos  2 vitórias, 2 derrotas e sem saldo de gol (7 a 7) , que, se as eliminatórias tivessem terminado, precisaria disputar a repescagem para tentar a vaga na Copa de 2022. Óscar Tabárez, de 73 anos, técnico da seleção desde 2006, ainda não conseguiu vencer o Brasil.

ARGENTINA VENCE – Com dois gols em onze minutos no primeiro tempo, a Argentina venceu (2 x 0) o Peru, no último jogo da noite de ontem (17), no Estádio Nacional de Lima, mantendo-se invicta e em segundo lugar. O atacante Nicolás Gonzalez, de 22 anos, do alemão Stuttgart, fez o primeiro aos 17, e Lautaro Martinez, de 23 anos, atacante da Inter de Milão, marcou o segundo aos 28. A Argentina tem 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate -, marcou 6 gols e sofreu 2 (defesa menos vazada, igual à do Brasil).

EQUADOR GOLEIA – O destaque da quarta rodada foi o Equador, que subiu para terceiro, com a terceira vitória consecutiva e a maior goleada (6 x 1) sobre a Colômbia, que caiu para o sétimo lugar. Com 9 pontos, a seleção do técnico argentino Gustavo Alfaro, ex-meia de 58 anos, tem o ataque mais positivo (13) das eliminatórias. Os gols foram de Arboleda, zagueiro do São Paulo, Mena, Estrada, Arreaga e Estupiñan, e o meia James fez o da Colômbia, de pênalti, quando estava 2 x 0.

ENFIM, VENEZUELA – Única sul-americana que nunca foi à Copa, a Venezuela enfim venceu (2 x 1 sobre o Chile, em Caracas), depois de três derrotas sem fazer gol e sofrer cinco. O zagueiro Luis Mago, que joga na Universidade do Chile, fez 1 x 0, e o meia chileno Arturo Vidal, da Inter de Milão, empatou. O atacante José Rondon, do Dalian Yifang, da China, aproveitou a saída errada do goleiro Claudio Bravo, aos 36 do segundo tempo, e fez o gol da primeira vitória da Venezuela, agora em oitavo lugar com 3 pontos.

FALTOU POUCO – No estádio Defensores del Chaco, em Assunção, a Bolívia quase quebrou o tabu de 27 anos sem vitória como visitante, após conseguir a virada sobre o Paraguai, que fez 1 x 0, gol de Angel Romero, ex-Corinthians, de pênalti. Marcelo Moreno, atacante do Cruzeiro, empatou, e Boris Céspedes, meia do Servette, da Suíça, marcou o segundo, mas o meia Alejandro Romero, do New York City FC, livrou o Paraguai da derrota em casa. A Bolívia continua em último, sem vitória.

ENROLADO – O árbitro Alexis Herrera, de 30 anos, da Federação Venezuela, escalado para Racing x Flamengo, na próxima terça (24), na Argentina, pelas oitavas de final da Libertadores, foi muito enrolado em Paraguai 2 x 2 Bolívia, na noite de ontem (17), em Assunção. Ele ignorou várias entradas desleais, em lances muito ríspidos, e depois de expulsar o lateral boliviano Erwin Saavedra e o meia paraguaio Rodrigo Rojas, foi chamado pelo VAR. Após rever o lance, substituiu o cartão vermelho pelo amarelo.

Foto: Superesportes