Com um gol de Neymar no início e outro de Paquetá no final, em mais um jogo com atuação segura, o Brasil tirou a invencibilidade do Paraguai, na noite de ontem (8), em que o técnico Tite igualou as seis vitórias consecutivas de João Saldanha em 1969, e repetiu, 35 anos depois, o placar de 2 x 0 da última vitória no estádio Defensores del Chaco, em 1985. Tite mantém a invencibilidade nas eliminatórias com 15 vitórias, 2 empates, 16 gols marcados e 2 gols sofridos. 

BOM LEMBRAR – A última vitória do Brasil sobre o Paraguai, em Assunção, havia sido no domingo, 16 de junho de 1985, com 53 mil pagantes no estádio Defensores del Chaco, pela segunda rodada das eliminatórias de Copa de 86. O primeiro gol foi de Casagrande, de cabeça, aos 27 do primeiro tempo, e Zico marcou o segundo aos 24. A seleção de Telê Santana: Carlos, Leandro, Oscar (c), Edinho e Junior; Cerezo, Sócrates e Zico; Renato Gaúcho (Alemão), Casagrande e Eder. 

AINDA MELHOR – Quatro dias depois dos 2 x 0 no Equador, a seleção brasileira se apresentou ainda melhor e começou a decidir logo aos 4 minutos com Neymar, que aos 19, em outra boa jogada de Gabriel Jesus, perdeu na pequena área a chance do segundo gol. O Paraguai só ameaçou aos 7, quando Ederson, de uniforme verde, fez a defesa mais difícil do jogo, desviando a bomba de fora da área do zagueiro Alderete no ângulo esquerdo.

BOA MUDANÇA – Na única substituição do intervalo, Tite acertou ao tirar Fred, suspenso do próximo jogo pelo segundo cartão amarelo, e colocar Paquetá, que foi bem na marcação e no apoio, e fechou o jogo com belo gol, completando a boa assistência de Neymar, com chute rasteiro de canhota no canto direito. A bola ainda tocou na trave antes de entrar. Além da atuação segura da defesa, o Brasil teve em Neymar, Gabriel Jesus, Richarlison e Paquetá as melhores figuras.

EDERSON, Danilo, Militão, Marquinhos (c) e Alex Sandro; Casemiro, Fred (Paquetá) e Firmino (Douglas Luiz); Gabriel Jesus (Everton Cebolinha), Neymar e Richarlison (Gabriel) – a seleção do primeiro jogo de Tite no Paraguai e do décimo oitavo jogo em Assunção, pelas eliminatórias, com 9 vitórias, 5 empates, 4 derrotas. As eliminatórias para a Copa de 2022 só voltarão em setembro e o Brasil jogará em casa com a Argentina e fora com a Colômbia.

NEYMAR IGUALA – Com o gol que marcou logo aos 4 minutos, Neymar igualou-se a Zico e Romário, com 10 gols, nas eliminatórias. Neymar é o vice-artilheiro das eliminatórias 2021, com 5 gols. Ele estava empatado com Marcelo Moreno, que se isolou na artilharia ao fazer o gol de empate (1 x 1) da noite de ontem (8) com o Chile, em Santiago.

AS SEIS VITÓRIAS – Bom repetir: Tite tornou-se o segundo técnico da seleção a ganhar seis jogos consecutivos nas eliminatórias, repetindo João Saldanha nas eliminatórias para a Copa de 70. Bom lembrar as seis vitórias de Tite: no Brasil, 5 x 0 na Bolívia; 1 x 0 na Venezuela; 2 x 0 na Colômbia. Fora do Brasil: 4 x 2 no Peru; 2 x 0 no Uruguai e 2 x 0 no Paraguai. Em setembro, se empatar ou vencer a Argentina, o Brasil será a única seleção invicta nas eliminatórias 2021.

A VITÓRIA 40 – No comando da seleção desde 1 de setembro de 2016, quando venceu o Equador por 3 x 0 na altitude de Quito, Tite completou na noite de ontem (8), no Paraguai, a quadragésima vitória em 54 jogos. O técnico só perdeu 4 vezes e empatou 10. Sob a orientação de Tite, em 54 jogos, a seleção marcou 116 gols e sofreu 19.

BRASIL, ÚNICO 100% –  O Brasil é o melhor das eliminatórias 2021, com 100% de aproveitamento, com 18 pontos em 6 jogos e com a classificação garantida para se manter como único em todas as Copas do Mundo. A Argentina, fora de casa, cedeu o empate (2 x 2) à Colômbia, após fazer 2 x 0, e está em segundo com 12 pontos (3 vitórias, 3 empates). O Equador perdeu em casa (2 x 1) para o Peru, que venceu pela primeira vez, mas é o terceiro com 9 pontos.

APESAR DO 0 x 0, fora de casa com a Venezuela, em seu terceiro empate consecutivo, o Uruguai subiu para o quarto lugar, último que garante vaga direta na Copa de 2022. A seleção que terminar as eliminatórias em quinto lugar disputará a repescagem, em dois jogos, com o campeão do grupo da Oceania.

Foto: CBF