O empate sem gol do Internacional com a Universidad do Chile marcou a estreia do Brasil na Libertadores 2020, em jogo tumultado na noite de ontem (4), no Estádio Nacional de Santiago. Houve vários confrontos de torcedores com a polícia, cadeiras atiradas ao gramado e até um incêndio, provocado pelos manifestantes em fúria, gritando palavras de ordem contra o presidente da República. Sebastián Piñera foi chamado de assassino igual ao general Augusto Pinochet, que torturou e matou milhares de opositores no golpe militar de 1973.

EXPULSÃO – O jogo melhorou um pouco quando os times voltaram do intervalo, depois de pouco criarem no primeiro tempo em que Paolo Guerrero quase marcou de falta e Marcelo Lomba defendeu bem uma cabeçada do meia argentino Joaquin Larrivey. Outro argentino, o meia Walter Montillo, ex-Cruzeiro, Santos e Botafogo, foi expulso aos 20 do segundo tempo, mas o Internacional não aproveitou a vantagem de ter mais um em campo. O árbitro argentino Facundo Tello, de 37 anos, promovido à FIFA em 2019, teve atuação segura.

O INTERNACIONAL se classifica com vitória no jogo de volta na próxima terça (11), na Arena Beira Rio, em Porto Alegre, onde o time chileno terá a vantagem do empate com gol para passar de fase. A decisão da vaga só será em pênaltis se o 0 x 0 se repetir. O meia argentino D’Alessandro tornou-se o terceiro com mais jogos na Libertadores e foi dos poucos que se salvaram, suportando bem, apesar dos 38 anos, o intenso calor em Santiago do Chile.

EMPATE 33 – Esta é a décima terceira participação do Internacional na Libertadores, que ganhou em 2006 com Abel Braga, no mesmo ano campeão mundial de clubes, e em 2010 com Celso Roth, um dos mais vitoriosos técnicos gaúchos. Universidad de Chile 0 x 0 Internacional foi o jogo 121 do time gaúcho na Libertadores, com 33 empates, 29 derrotas, 59 vitórias, 178 gols marcados, 112 gols sofridos.

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba, Rodinei (Boschilia), Victor Cuesta, Rodrigo Moledo e Moisés; Musto (Tiago Galhardo), Rodrigo Lindoso, Edenilson e Patrick (Marcos Guilherme); D’Alessandro e Paolo Guerrero. Técnico – Eduardo Coudet, argentino de 45 anos, nascido na capital Buenos Aires em 12 de setembro de 1974.

Foto: UOL