A seleção brasileira foi dominada no primeiro tempo e levou a virada, mas na volta do intervalo jogou um pouco mais e evitou a derrota para a Colômbia, diante de 65.232 pagantes, na noite de ontem (6), no estádio Hard Rock, em Miami, nos Estados Unidos. O empate em 2 x 2 marcou a volta de Neymar, que fez o segundo gol.

MINUTO DE SILÊNCIO – Antes de Brasil 2 x 2 Colômbia, foi respeitado um minuto de silêncio pela morte do ex-goleiro argentino Andrada, campeão carioca e brasileiro no Vasco, e que sofreu o gol 1000 de Pelé, e de Danilo Feliciano de Morais, filho do ex-lateral Cafu, capitão da seleção brasileira na conquista da quinta Copa do Mundo em 2002.

BEM MELHOR – A Colômbia foi bem melhor que o Brasil no primeiro tempo e mereceu a virada, após sofrer o gol de Casemiro, que completou de cabeça, no canto direito, o escanteio que Neymar bateu da direita aos 19 minutos. Daí em diante, a Colômbia dominou até o fim do primeiro tempo e conseguiu sair para o intervalo com 2 x 1.

O PRIMEIRO – Luis Muriel, 28 anos, 1,78m, destro, tornou-se o primeiro colombiano a fazer dois gols na seleção brasileira. Ele empatou aos 24, convertendo pênalti que sofreu com o pontapé de Alex Sandro, no peito, e fez o segundo aos 33, concluindo com o terceiro toque a jogada bem trabalhada por Duvan Zapata e Roger Martinez, com chute cruzado à meia altura.

Luis Muriel é da região central de Santo Tomás, pequena cidade universitária, jogou em 2009-10 no Deportivo Cali, de onde saiu para a Udinese, que defendeu até 2015. Está em sua primeira temporada no Atalanta de Bergamo, depois de jogar no Lecce e na Fiorentina, onde ganhou o prêmio de revelação do Campeonato Italiano.

BEIJO E ABRAÇO – A seleção brasileira conseguiu o empate aos 13 do segundo tempo, com o gol de Neymar, livre na pequena área, após cruzamento rasteiro de Daniel Alves, que recebeu lançamento preciso de Philippe Coutinho. Neymar beijou a bola e correu para a beira do campo, onde ganhou demorado e afetuoso abraço do técnico Tite.
Bom lembrar: Neymar foi o autor do gol da vitória (1 x 0) no último amistoso que Brasil e Colômbia disputaram no mesmo estádio, em 5 de setembro de 2014, quando o técnico Dunga voltou ao comando da seleção após a Copa de 2010. Foi o último gol de falta marcado pela seleção brasileira.

BRASIL – Ederson, Daniel Alves (cap), Marquinhos, Tiago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho (Bruno Henrique, 35 do segundo tempo); Richarlison (David Neres, 38 do segundo tempo), Neymar e Firmino (Paquetá, 38 do segundo tempo). Após a Copa de 2018, foi o quarto empate em 17 jogos, com 13 vitórias brasileiras.

COLÔMBIA – Ospina (cap), Medina (Orejuela, lateral do Cruzeiro), Mina, Sanchez e Tesillo; Barrios, Uribe (ex-Flamengo, agora no Santos), substituído por Lerma, e Juan Cuadrado (Moreno); Zapata (Borre), Luis Muriel e Roger Martinez (Diaz). O técnico português Carlos Queiroz merece elogios pelo excelente nível do futebol da seleção colombiana, segunda a marcar dois gols no Brasil, desde a derrota de 2 x 1 para a Bélgica na Copa de 2018.

SÓ UM CARTÃO – O volante Casemiro foi o único advertido com cartão amarelo, aos 23 do primeiro tempo, por uma falta muito dura em Luis Muriel. Boa atuação de Ismail Elfath, 37 anos, árbitro da Liga Americana desde 2012 e na FIFA desde 2016. Nascido em Casablanca, cidade portuária no oeste do Marrocos, vive nos Estados Unidos desde os 18 anos.

COM O PERU – O próximo amistoso do Brasil, nas datas FIFA de setembro, será terça (10), em Los Angeles, maior cidade do estado da Califórnia, com o Peru. Uma reedição da final da Copa América de 2019, ganha pelo Brasil com os 3 x 1 no Maracanã.

Foto : Pedro Martins e Foto: (Neymar) goal.com