COM FLAMENGO x CORINTHIANS E PALMEIRAS x ATLÉTICO MINEIRO, o Fortaleza fará o terceiro confronto brasileiro nas quartas de final com o Athletico Paranaense, se vencer o Estudiantes de La Plata, na noite desta 5ª feira (7), no estádio Jorge Luis Hirschi, na cidade de La Plata, a 56 km da capital Buenos Aires. O jogo de ida na Arena Castelão foi 1 x 1 e a vaga será decidida nos pênaltis em caso de outro empate.

A CLASSIFICAÇÃO ENTRE OS OITO MELHORES da América do Sul em 2022 valerá prêmio de 1.500 mil dólares (R$8.100 mil) no jogo que será apitado pelo uruguaio Esteban Ostojich. A vaga será inédita para o Fortaleza e o Estudiantes, primeiro argentino tricampeão da Libertadores – 68-69-70 -, tenta se classificar para as quartas de final depois de 12 anos, eliminado em 2010 pelo Internacional de Porto Alegre.

PODE SER O ÚLTIMO JOGO DO MEIA PIKACHU, artilheiro do time, entre a proposta do Fortaleza, para renovar contrato em condições bem mais vantajososas, e do Shimizu S-Pulse, time do técnico carioca José Roberto Mannarino, ex-Vasco, onde ganharia três vezes mais. Sentimental, como todo paraense, Pikachu ainda não decidiu se aguentaria viver longe do Brasil: “Dinheiro não é tudo, posso me arrepender”. 

BEM NA LIBERTADORES, o Fortaleza decepciona no Campeonato Brasileiro, em último entre os 20, com 10 pontos dos 45 disputados em 15 rodadas, como time que mais perdeu, só com duas vitórias, quatro empates, nove derrotas e saldo negativo de oito gols (13 a 21). O técnico argentino Juan Pablo Vojvoda, desde abril de 2021 no Fortaleza, conhece bem o Estudiantes e sabe da dificuldade de vencer em La Plata, mas confia na classificação.

O CLUB ESTUDIANTES DE LA PLATA tem 116 anos (4/8/1905), quatro vezes campeão argentino, quatro vezes campeão da Libertadores, a última em 2009, com virada no Cruzeiro por 2 x 1 no Mineirão. Nesse ano, o goleiro Mariano Andujar bateu o recorde dos goleiros argentinos na Libertadores, ao ficar 800 minutos sem sofrer gol, superando Hugo Gatti, que ficou 767 minutos em 1967 no River e em 1977 no Boca.

QUEM ERGUEU A ÚLTIMA TAÇA que o Estudiantes de La Plata ganhou em 2009 foi o meia Juan Sebastian Veron, capitão do time e um de seus jogadores mais notáveis, desde abril de 2014 presidente do clube. Veron também brilhou na Europa, campeão italiano em 1999-2000 na Lazio de Roma e em 2005-2006 na Inter de Milão, e campeão inglês em 2002-2003 no Manchester United, além de ter disputado as Copas do Mundo de 1998 e 2002. 

QUANDO O ESTUDIANTES ganhou o tri da Libertadores em 68-69-70, um de seus jogadores extraordinários era o meia Carlos Bilardo, técnico da segunda Copa do Mundo que a Argentina conquistou em 1986 no México, na segunda final entre sul-americanos e europeus, vencendo a Alemanha por 3 x 2, com atuação destacada de Diego Maradona.

Foto: UOL