Escolha uma Página

A PRIMEIRA DERROTA do Brasil para a Colômbia, nas eliminatórias para a Copa do Mundo, depois de sete vitórias e sete empates, foi de virada (2 x 1), na noite de ontem (16), no Estádio Metropolitano de Barranquilla, quarta maior cidade do país, a 710 km da capital Bogotá. Foi a primeira vez que o Brasil sofreu duas derrotas consecutivas nas eliminatórias, desde as primeiras, em 1954, quando ficou em 6º lugar entre as 16 seleções da 5ª Copa do Mundo na Suíça.

ALÉM DE TER SOFRIDO a segunda derrota consecutiva, a seleção brasileira também caiu duas posições, terminando a 5ª rodada em 5º lugar, com 7 pontos, 2 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, saldo de dois gols (8 a 6), a 5 pontos da Argentina, que também perdeu a invencibilidade, mas manteve a liderança com 12 dos 18 pontos disputados. O Brasil só tem mais 1 ponto que a Venezuela, 4º, com 8, e mais 2 pontos que o Equador, 6º, com 5 pontos.

EMBORA EM 3º, A COLÔMBIA, do técnico argentino Néstor Lorenzo, ex-zagueiro de 57 anos, é a única invicta, com 9 pontos, 2 vitórias, 3 empates, saldo de dois gols (5 a 3). Luis Diaz, de 26 anos, 1,80m, destro, autor dos gols de cabeça na virada sobre o Brasil, joga na Europa desde 2019, comprado do Atlético Junior, de Barranquilla, por 7 milhões de euros, e vendido pelo Porto ao Liverpool, em janeiro de 2022, por 49 milhões de euros (R$352 milhões).

A ÚLTIMA DERROTA DO BRASIL para a Colômbia havia sido, por coincidência, por 2 x 0, no sábado, 13 de julho de 1991, pela Copa América, no Estádio Sausalito, em Viña del Mar, no Chile. A seleção era dirigida pelo técnico Paulo Roberto Falcão: Taffarel, Mazinho, Ricardo Rocha, Gottardo e Branco; Marcio, Mauro Silva, Raí (Luis Henrique) e Neto (Careca Bianchezzi); Renato Gaúcho e João Paulo. O Brasil ficou em 2º lugar na Copa América, 13ª ganha pela Argentina.

A SELEÇÃO DA 1ª DERROTA para a Colômbia nas eliminatórias: Alisson, Emerson Royal, Marquinhos (c), Gabriel Magalhães (Douglas Luis) e Renan Lodi (Pepê); André, Bruno Guimarães e Rodrygo (Paulinho); Raphinha (Endrick), Martinelli e Vinicius Junior (João Pedro). Vinicius Junior saiu aos 28 minutos, com problema muscular na coxa esquerda. Fernando Diniz foi advertido com cartão amarelo pelo árbitro uruguaio Andrés Matonte, aos 36, por reclamação.

A COLÔMBIA DA 1ª VITÓRIA sobre o Brasil nas eliminatórias: Camilo Vargas, Mosquera, Carlos Cuesta, Sanchez e Machado (Borja); Castaño (Lerma), Uribe (Sinisterra), Carrascal (Richard Rios) e James (c); Rafael Borré (Cordoba) e Luis Diaz, que se emocionou na comemoração dos gols, e depois do jogo, chorou abraçado ao pai, que ficou doze dias sequestrado pelo grupo ELN (Exército de Libertação Nacional), de guerrilheiros comunistas.

O BRASIL ABRIU O PLACAR, com o primeiro gol de Gabriel Martinelli com a camisa da seleção, logo aos 3 minutos, após tabelar com Vinicius Junior. Paulistano de 22 anos, formado na base do Corinthians, Martinelli saiu do Ituano em 2019 para o Arsenal de Londres, campeão da Copa e da Supercopa da Inglarerra. Ganhou a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de 2020 no Japão, disputados em 2021, devido à pandemia.

A SELEÇÃO BRASILEIRA levou a virada em três minutos, na volta do intervalo, com dois gols de cabeça de Luis Diaz. No primeiro, aos 30, após cruzamento do lateral-esquerdo Borja; no segundo, aos 33, completando o lançamento do meia e capitão James. Na saída do gramado, o goleiro Alisson, do Liverpool, criticou o desempenho da seleção: “Precisa render bem mais do que mostrou. Futebol não se ganha com a camisa”.

O PRÓXIMO JOGO, 3ª feira (21), com a Argentina, no Maracanã, será o sexto e último de Fernando Diniz como técnico interino, com retrospecto ruim: 5 x 1 na Bolívia; 1 x 0 no Peru; 1 x 1 com a Venezuela; 0 x 2 com o Uruguai e 1 x 2 com a Colômbia. As eliminatórias só voltarão a ser disputadas em setembro de 2024, mas nos amistosos de março, com Inglaterra, em Wembley, e Espanha, em Madrid, a CBF já espera contar com o italiano Carlo Ancelotti.

ÚNICA SELEÇÃO SUL-AMERICANA que nunca disputou Copa do Mundo, a Venezuela perdeu a chance de melhorar de posição, ao ficar no 0 x 0 com o Equador, na noite de ontem (16), no Estádio Monumental de Maturin, na capital do estado de Monagas, a 504 km de Caracas, capital do país. A Venezuela está em 4º lugar, com 8 pontos; o Equador, em 6º, com 5 pontos, com a última vaga para a Copa de 2026.

NO ÚLTIMO JOGO DA NOITE, o Chile dominou amplamente no Estádio Monumental de Santiago, mas ficou no 0 x 0 com o Paraguai, 7º com 5 pontos. O zagueiro chileno Medel discutiu com o meia paraguaio Rojas e foi advertido com cartão amarelo. Suspenso do jogo de 3ª (21) com o Equador, Medel poderá jogar pelo Vasco, 4ª feira (22), com o Cruzeiro, que não terá torcida no Mineirão, punido com a invasão de campo de seus torcedores no jogo com o Coritiba.

Fotos: Staff Images/CBF, REUTERS/Luisa Gonzalez e Conmebol Divulgação