Escolha uma Página

No penúltimo amistoso de preparação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em que estreará dia 22 de julho com a Alemanha, em reedição da final de 2016, quando ganhou a medalha de ouro pela primeira vez (5 x 4 nos pênaltis) , a seleção brasileira sub-23 conseguiu perder (2 x 1 de virada), no primeiro jogo da história com a seleção de Cabo Verde, ontem (5), no estádio Partizan, da cidade de Belgrado, capital da antiga Iugoslávia, hoje Sérvia. 

POSIÇÃO 81 – No ranking atual das 211 seleções que fazem parte da FIFA, Cabo Verde está na posição 81, com 1.306 pontos, e é a décima sexta da África, sem nunca ter ganhado a Copa Africana. Foi o primeiro jogo do ano de Cabo Verde, que nos últimos amistosos de 2020, quando iniciou a preparação para a Copa Africana de 2021, perdeu da Guiné (2 x 1), ficou em dois 0 x 0 com Ruanda e só venceu (2 x 1) a inexpressiva seleção de Andorra. A seleção africana mais bem colocada é a do Senegal, em vigésimo lugar. 

A VIRADA – O Brasil fez 1 x 0 aos 38 minutos, com o atacante Pedro deslocando o goleiro Josimar Dias, só conhecido pelo apelido de Vozinha, por ter sido criado pela avó materna, na cobrança do pênalti cometido com a mão pelo zagueiro Roberto Dias. Cabo Verde empatou no último lance do primeiro tempo, com o ponta Lisandro Semedo, que joga no Fortuna Sittard após falha dos zagueiros, que se atrapalharam na marcação. 

WILLY SEMEDO, que não é parente do autor do gol de empate, marcou o gol da virada de Cabo Verde aos 38 minutos do segundo tempo, em outra indecisão da defesa brasileira, dirigida pelo técnico gaúcho André Jardine, de 41 anos, que ganhou o torneio de Toulon em 2019, e foi demitido do São Paulo, após eliminação na primeira fase da Libertadores 2020. Ele assumiu a seleção em abril de 2021, com a missão de ganhar em Tóquio a segunda medalha de ouro.

CLEITON (Bragantino), Gabriel Menino (Palmeiras), Nino (Fluminense), Gabriel Magalhães (Arsenal) e Arana (Atlético Mineiro); Bruno Guimarães (Lyon), Gerson (Flamengo) depois Mateus Henrique (Grêmio) e Claudinho (Bragantino) depois Reinier (Borussia Dortmund); Anthony (Ajax), depois Malcom (Zenit da Rússia), Pedro (Flamengo) depois Evanilson (Porto) e Rodrygo (Real Madrid) depois Martinelli (Arsenal) – a seleção que levou a virada de Cabo Verde e fará o último amistoso com a Sérvia, terça (8), no Maracanã de Belgrado, antes da estreia nos Jogos Olímpicos.

GERSON NA FRANÇA – Coincidiu com a estreia do meia, com a camisa 8 da seleção olímpica, o anúncio oficial da sua venda ao Olympique de Marselha, quinto do último Campeonato Francês com menos 23 pontos que o campeão Lille (60 a 83). Gerson será dirigido pelo técnico argentino Jorge Sampaoli, de 61 anos, e volta à Europa três anos depois de não ter sido bem-sucedido na Roma, que o comprou do Fluminense por 16 milhões de euros (R$60 milhões).

DIFERENÇAS – Pelo meia de 24 anos, nascido em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, o Flamengo pagou à Roma R$50 milhões e vendeu ao Olympique por R$190 milhões, que receberá parcelados em quatro anos, e terá direito a 25%, se o jogador for vendido pelo clube francês. Gerson estreou no Flamengo em 21 de julho de 2019 no 1 x 1 com o Corinthians. Em 105 jogos marcou 7 gols e deu 10 assistências. 

HISTÓRIA – A República de Cabo Verde é um país insular, localizado em um arquipélago formado por dez ilhas vulcânicas, pequenas e montanhosas, na região central do Oceano Atlântico. Os exploradores portugueses descobriram e colonizaram as ilhas no século XV, tornando-as no primeiro assentamento europeu nos trópicos para o comércio de escravos. Cabo Verde tornou-se independente de Portugal em 1975 e sua capital é a cidade de Praia. 

Foto: Reprodução