Único 100%, com o 1 x 1 da noite de ontem (12) entre Argentina e Paraguai, no estádio da Bombonera, onde o árbitro brasileiro Raphael Claus anulou gol de Messi por impedimento, o Brasil volta a jogar hoje (13) com a Venezuela, seu maior freguês da história das eliminatórias, na Arena Corinthians. Em 25 jogos, desde 1969, o Brasil ganhou 21, houve 3 empates e a única vitória da Venezuela (2 x 0) foi em amistoso, em 2008, na cidade de Boston, nos Estados Unidos.

SEM EXCEÇÃO – Única das 10 seleções do continente sul-americano que ainda não conseguiu se classificar para a Copa do Mundo, a Venezuela contratou o português José Peseiro, ex-atacante de 60 anos, que substituiu Jorge Jesus, em 2018, quando o ex-técnico do Flamengo saiu do Sporting de Lisboa. Todos os jogadores da seleção da Venezuela, no jogo da noite de hoje (13) com o Brasil, atuam fora do país, a maioria em times da Europa. Três jogam nos Estados Unidos e um joga na China. 

WUILKER FARÍÑEZ (Lens, França), Rolf Feltsche (Los Angeles Galaxy), Yordan Osorio (Parma), Wilker Ángel (Akhmat Grozny, Rússia) e Roberto Rosales (Leganés, Espanha); Cristan Casseres (RB New York), Tomás Rincón (Torinoe Junior Moreno (DC United); Savarino (Atlético Mineiro), Darwin Machís (Granada, Espanha) e José Rondon ( Dalian Yifang, China). Os outros dois que jogam no Brasil  Soteldo (Santos) e Otero (Corinthians, de acordo com o anúncio feito pelo técnico, ficarão na reserva.

ÚNICA EXCEÇÃO – O meia Everton Ribeiro, do Flamengo, é a única exceção na escalação da seleção brasileira. Todos os demais jogam na Europa: Ederson (Manchester City), Danilo (Juventus), Marquinhos (PSG), Tiago Silva (Chelsea) e Renan Lodi (Atlético de Madrid); Allan (Everton), Douglas Luiz (Aston Villa) eEverton Ribeiro (Flamengo); Gabriel Jesus (Manchester City), Roberto Firmino (Liverpool) eRicharlison (Everton). Favorita, a seleção chegará aos 9 pontos e manterá a liderança invicta.

JOGO 51 – O técnico Tite, de 59 anos, geminiano de 25 de maio de 1961, natural de Caxias do Sul, cidade mais importante da Serra Gaúcha, na região Nordeste do estado, a 120 km da capital Porto Alegre, completa 51 jogos no comando da seleção. Na estreia, em 1 de setembro de 2016, nas eliminatórias para a Copa de 2018, boa vitória (3 x 0), em Quito, sobre o Equaor, e no jogo mais recente, a virada (4 x 2) sobre o Peru, em 13 de outubro de 2020, no Estádio Nacional de Lima.

GRUPO SELETO – Bom dizer: Tite faz parte do grupo seleto de treinadores brasileiros que ganharam, com brilho, no mesmo ano, a Copa Libertadores e o Mundial de clubes, feitos marcantes que conseguiu em 2012 no Corinthians. Antes dele, só Paulo Cesar Carpegiani, no Flamengo (1981); Telê Santana, no São Paulo (1992-93), e Abel Braga, no Internacional (2006). Em 2022, Tite será o terceiro técnico a dirigir a seleção em duas Copas consecutivas, depois de Zagallo (70-74) e Telê Santana (82-86).

ARTILHEIRO – O notável Tostão, multicampeão no Cruzeiro, é o artilheiro da seleção nos jogos das eliminatórias com a Venezuela, com seis gols. No primeiro, em 10 de agosto de 69, no Estádio Olímpico de Caracas, fez 3, e Pelé completou os 5 x 0. No segundo, 12 dias depois, com apenas 122.841 pagantes, no domingo, 24 de agosto, Maracanã, Tostão fez os três primeiros gols, Pelé (2) e Jairzinho deram o retoque nos 6 x 0. Bom lembrar: a maior goleada na Venezuela (7 x 0) foi na Copa América de 99 no Paraguai.

O ÁRBITRO – Brasil x Venezuela será apitado por Juan Gabriel Benitez, de 38 anos, nascido, tal qual Pelé, no primeiro dia de Escorpião (23 de outubro). Árbitro da Associação Paraguaia de Futebol desde 2016, ele cometeu um erro no terceiro jogo, após receber a insígnia da FIFA, ao expulsar o meia Marcos Riveros, do Sportivo Luqueño, no 1 x 1 com o Nacional, dia 9 de abril. Em casa, revendo o lance, registrou um adendo na súmula pela falha. A Associação não o perdoou e o suspendeu por oito jogos.

Foto: GHZ