A seleção brasileira sub-23 ganhou ontem (15) pela nona vez, em igual participações em finais, o Torneio de Toulon, na região da famosa Costa Azul da França, ao vencer o Japão (5 x 4, nos pênaltis), depois de 1 x 1 no tempo normal. O atacante Antony, do São Paulo, fez 1 x 0 aos 18 minutos, e Koki Ogawa empatou aos 37 do primeiro tempo. O Brasil havia ganho o torneio pela última vez em 2014, com o goleiro Ederson, bicampeão inglês pelo Manchester City, como um dos destaques.

NOS PÊNALTIS, o goleiro Ivan defendeu a última cobrança japonesa do meia Reo Hatate, depois que o Brasil converteu todas, com Mateus Vital, Douglas Luis, Mateus Henrique, Wendel e Lyanco. O Brasil sofreu apenas o gol do Japão, depois de três goleadas, 4 x 0 na França e na Guatemala, 5 x 0 no Qatar, e 2 x 0 na Irlanda, na semifinal. A seleção teve o comando do técnico André Jardine, ex-São Paulo, e disputará o torneio pré-olímpico em janeiro de 2020 na Colômbia.

OS CAMPEÕES – Ivan, Emerson (Guga), Lyanco, Murilo e Yago; Douglas Luis, Mateus Henrique, Mateus Vital e Pedrinho; Antony (Wendel), Mateus Cunha e Paulinho. Douglas Lima, ex-Vasco, que disputou a temporada 2018-19 pelo Girona, da Espanha, foi eleito o melhor jogador do torneio. O zagueiro Lyanco, emprestado pelo Torino ao Bologna, ficou em segundo, e o artilheiro, com quatro gols, foi Mateus Cunha, do Leipzig, terceiro no Campeonato Alemão.

GRANDES NOMES – Disputado desde 1967, o Torneio de Toulon já revelou grandes nomes. Entre os primeiros, o zagueiro Daniel Passarella, do primeiro título mundial da Argentina em 1978. Depois, os capitães da seleção brasileira que ganhou as duas últimas Copas: Dunga, em 94, e Cafu, em 2002. Zidane, do primeiro título mundial da França, em 98, foi outra grande revelação do torneio. Toulon, na belíssima Riviera Francesa, tem o maior porto militar do país.

O MÉXICO, sem perder nenhum jogo, ficou com o terceiro lugar do torneio, ao vencer a Irlanda – 4 x 3, nos pênaltis -, depois de 0 x 0 no tempo normal. Os mexicanos foram eliminados nas semifinais pelo Japão, mas nos pênaltis. Um dos maiores artilheiros do México – Hugo Sanchez -, que também brilhou muito no Real Madrid, foi outra revelação excelente do Torneio de Toulon. A França é a maior vencedora do torneio com 12 títulos. O Brasil é o segundo com 9. Os três últimos, em 2016-17-18 foram ganhos pela Inglaterra.