O árbitro Daniele Orsato parou por três minutos o jogo deste domingo (22), no estádio Atleti Azzurri d’Itália, na cidade de Bergamo, onde os torcedores do Atalanta entoavam cânticos racistas, insultando o lateral-esquerdo brasileiro Dalbert, da Fiorentina. Dalbert Henrique não jogou como profissional no Brasil e está na Europa desde 2014, quando defendeu dois times portugueses, o Acadêmica de Vizeu e o Vitória de Guimarães.

BARRA MANSA – Dalbert Henrique Chagas Estevão nasceu em 8 de setembro, em Barra Mansa, município do sul do estado do Rio de Janeiro, e tem 26 anos. Iniciou nas divisões de base do Fluminense, mas logo se transferiu para a Europa. Em 2016 jogou na França pelo Nice, que o vendeu por 20 milhões de euros (R$91 milhões) à Inter de Milão.

Sem chance na Inter, que lidera o campeonato com 100% de aproveitamento, Dalbert foi emprestado à Fiorentina e estava fazendo seu terceiro jogo. O técnico Vicenzo Montela o sentiu muito abatido após os insultos racistas e o substituiu por Lorenzo Venuti, aos 40 do segundo tempo.

REAÇÃO FORTE – Os insultos ao jogador brasileiro provocaram reação forte, a partir do presidente da FIFA, o suíço-italiano Gianni Infantino, que disse: “Não devemos ter medo de condenar os racistas. Devemos combatê-los até o fim”. Em campo, o abatimento foi grande: a Fiorentina fez 2 x 0, com o gol contra de Palomino e o primeiro gol do francês Franck Ribéry, mas o Atalanta reagiu e empatou com os gols de Josip Ilici e astagne.

ANTES de Dalbert, o atacante belga Romelu Lukaku, da Inter de Milão, e o meia marfinense Franck Kessié, do Milan, também já haviam sido alvos de insultos e cânticos racistas.

Foto: Vincenzo Pinto / AFP