O Paris Saint Germain fez belíssima homenagem à Notre-Dame, a catedral devastada pelas chamas na segunda-feira (15), ao comemorar o oitavo título de campeão francês, com os 3 x 1 sobre o Mônaco, diante da lotação completa de 48.583 torcedores, na noite de ontem (21), em que o atacante Mbappé, de 20 anos – melhor jogador jovem da Copa do Mundo 2018 -, marcou os três gols. Artilheiro com 30, ele igualou a marca de Jean-Pierre Papin no campeonato de 1990.

NEYMAR VOLTOU – Recuperado da cirurgia no tornozelo, que o tirou meses da equipe, Neymar voltou no segundo tempo, mas ainda sem firmeza capaz de acrescentar muito ao jogo. O PSG entrou em campo campeão porque horas antes o vice-lider Lille, do norte francês, não saiu do 0 x 0 com o Toulouse e deixou de ter como alcançar o time de Paris na pontuação. O PSG tem 84 pontos e o Lille, 65, enquanto Saint-Etienne e Lyon, com 57, brigam pela terceira vaga da próxima Liga dos Campeões (2019-2020). 

RECORDISTA – O lateral baiano Daniel Alves, de 35 anos e 19 de carreira, ampliou o recorde de mais títulos do futebol mundial, ao ganhar o trigésimo nono e perto do quadragésimo, que deve conquistar sábado (27) na final da Copa da França com o Rennes. Daniel tem mais dois títulos que Pelé (37) e supera o espanhol Iniesta com 35. Messi vai ganhar o trigésimo quarto com o Campeonato Espanhol praticamente decidido pelo Barcelona e talvez seu título 35 seja a Champions League.

FALTAM DOIS – O PSG é o clube mais novo da França, com 48 anos, fundado em 12/8/70, e usa as cores de Paris: azul, vermelho e branco. Comprado em 2011 pelo Fundo de Investimento do Qatar, pagou 222 milhões de euros – 820 milhões de reais – por Neymar, que continua sendo o jogador mais caro do mundo. O PSG precisa de mais dois títulos para se igualar ao maior campeão francês, o Saint-Etienne, com 10. O segundo é o Marselha com 9. Também têm oito títulos, o Nantes e o Mônaco.

Depois dos primeiros campeonatos, em 86 e 94, o PSG só voltou a ser campeão em 2013, quando iniciou a série consecutiva de oito títulos até 2019. Faltando ainda cinco rodadas, o PSG soma 84 pontos – 27 vitórias, 3 empates, 3 derrotas -, tem o ataque mais positivo (95) e a defesa menos vazada (27), com o apreciável saldo de 68 gols. O presidente do clube vai oferecer um prêmio especial a Mbappé, que em cinco jogos restantes pode se transformar no maior artilheiro da história do campeonato. Bom dizer: o time é dirigido pelo ex-zagueiro alemão Thomas Tuchel, de 45 anos, que ganhou seu primeiro título.