A edição 89 do Campeonato Espanhol começa nesta sexta (16) sem Messi, artilheiro da temporada passada com 36 dos 90 gols marcados em 38 jogos pelo bicampeão Barcelona, que disparou a maior goleada (8 x 2 no Huesca), dia 2 de setembro de 2018. O craque argentino não se recuperou de contusão e não há prazo para sua estreia.

ATLÉTICO DE BILBAO e BARCELONA farão o jogo de abertura no estádio San Mamés, com os 53.289 lugares ocupados. São dois dos três times jamais rebaixados, junto com o Real Madrid, maior vencedor com 33 títulos. O Atlético de Bilbao, oito vezes campeão, ganhou invicto o primeiro título em 1929-30 e sua última conquista foi o campeonato de 1983-84.

RECORDE HISTÓRICO – Quando ganhou seu primeiro título, o Atlético de Bilbao estabeleceu a maior de todas as goleadas do campeonato: 12 x 1 no Barcelona! Entre 1939 e 1955, Telmo Zarra – maior artilheiro do Atlético de Bilbao, 251 gols em 279 jogos – manteve a marca de 38 gols, só superada em 2010-2011 por Cristiano Ronaldo com 40.

TÉCNICO BRASILEIRO – Na história de 121 anos do Atlético de Bilbao, o único técnico brasileiro que dirigiu o time, em 74 jogos, foi Martin Francisco, mineiro de Barbacena, de 1958 a 1960, quatro anos depois de ter sido campeão carioca em 1956 pelo Vasco. Ele foi terceiro em 58 e 59, e sétimo em 60. Na volta, encerrou a carreira no Bangu, de 64 a 67.

JOGO HISTÓRICO – O estádio San Mamés registra 31 de maio de 1998 como o jogo mais importante da história do Atlético de Bilbao, no dia em que o clube comemorou 100 anos. O amistoso com a seleção brasileira, que Zagallo preparava para a Copa na França, foi 1 x 1. O zagueiro Carlos Garcia fez 1 x 0 aos 19 e Rivaldo empatou aos 5 do segundo tempo.

PREDOMÍNIO – Embora com menos sete títulos que o Real Madrid (26 a 33), o Barcelona tenta o tri, a fim de manter o predomínio dos últimos anos em que ganhou 8campeonatos, o Real Madrid (2)e o Atlético de Madrid (1). Em 2009-10-11, o Barcelona foi tri e o Real Madrid tri vice. Bom lembrar: o Campeonato Espanhol só deixou de ser disputado de 1937 a 1939, devido à  Segunda Guerra Mundial

TRILHA SONORA – Uma das novidades é a trilha sonora do campeonato, feita pelo espanhol Lucas Vidal, compositor vencedor do prêmio Emmy. Ele compôs o hino, gravado em estúdio, em Londres, por 130 músicos de 20 nacionalidades, em uma batida forte e bem marcante. O presidente de La Liga, Javier Tebas, ficou emocionado depois de ouvir.

NOVA BOLA – Depois de duas temporadas, a bola deixa de ser Nike. O campeonato passa a ser disputado com a bola Puma. Os promotores de La Liga, como o Campeonato Espanhol é tratado, registraram na temporada passada 10.091.036 torcedores nos 380 jogos – média de 27.273 por jogo – e estão esperando aumento de 30 a 40%.

MACRON SPORTS, fábrica italiana de material esportivo, fundada em 1971, com sede em Crespellano, província de Bologna, veste a maioria das vinte equipes do Campeonato Espanhol que começa nesta sexta (16). Com exceção do Barcelona (Nike), Real Madrid (Adidas) e Atlético de Madrid (Nike), que em 2021-2022 passará a vestir Puma.

PATROCÍNIO – A camisa do Barcelona continuará sendo a mais bem paga do futebol mundial, com o patrocínio master da Rakuten – conglomerado tecnológico japonês -, que paga por ano 55 milhões de euros, o equivalente a R$250 milhões. O segundo maior patrocínio mundial é o da camisa do Manchester United, que recebe 54 milhões de euros por ano. Bom dizer: o Barcelona ainda recebe 60 milhões de euros, por ano, da empresa turca de eletrônicos Beko, pela marca na manga da camisa.

ESTREIA DO VAR – Pela primeira vez, árbitro de video no Campeonato Espanhol. Atlético de Bilbao x Barcelona, nesta sexta (16) será apitado por Carlos del Cerro Grande, 43 anos, madrilenho, FIFA desde 2013 e primeiro árbitro espanhol em um jogo com VAR, em 12 de agosto de 2018, na final da Supercopa em que o Barcelona venceu (2 x 1) o Sevilha.