Escolha uma Página

A Espanha disputará a semifinal da Eurocopa na próxima terça (6) com a Itália, no estádio de Wembley, em Londres, tentando ser finalista pela quinta vez, depois de eliminar a Suíça na tarde de ontem (2) de julho, no estádio de São Petersburgo, na Rússia, a 705 km da capital Moscou. O jogo foi tenso, teve prorrogação, após 1 x 1 nos 90 minutos, e os atacantes canhotos Gerard Moreno e Oyarzabal garantiram a classificação por 3 x 1 na cobrança dos últimos pênaltis.

CAPITÃO NA TRAVE – O meia Sergio Busquets, capitão da Espanha, acertou a trave direita na primeira cobrança. O atacante Gavranovic converteu o primeiro da Suíça, e o atacante Dani Olmo, o primeiro da Espanha. O goleiro Unai Simon defendeu a cobrança do meia suíço Char, e o goleiro Yann Sommer, a do meia espanhol Rodri. Unai Simon defendeu o pênalti do zagueiro Akanji; Gerard Moreno converteu o segundo da Espanha; o ala suíço Ruben Vargas chutou pra fora, e o atacante Oyarzabal converteu a última cobrança (3 x 1), garantindo a classificação da Espanha.

GOLEIRO BRILHOU – Yann Sommer, de 32 anos, 1,83m, goleiro do alemão Borussia Monchengladbach desde 2014, fechou o gol da Suíça com defesas notáveis, principalmente depois dos 31 do segundo tempo, quando o meia Remo Freuler, de 29 anos, da italiana Atalanta, de Bergamo, foi expulso pelo árbitro inglês Michael Oliver, com cartão vermelho direto, após falta maldosa no atacante Gerard Moreno. Com justiça, Sommer foi eleito melhor do jogo.

GOL CONTRA – Em seu jogo 78 na seleção, o lateral-esquerdo Jordi Alba chegou a comemorar o décimo gol, após chute forte de fora da área aos 8 minutos, mas o árbitro considerou, com acerto, gol contra de Denis Zakaria. O meia suíço esticou a perna direita e provocou desvio decisivo na trajetória da bola, que entrou no canto direito, tirando a chance de defesa do goleiro. O capitão Shaqiri fez o gol suíço aos 22 do segundo tempo, aproveitando a falha dos zagueiros.

ENTRE OS CINCO – Campeão do mundo em 2010 e da Eurocopa em 2012, o meia Sergio Busquets tornou-se o quinto com mais jogos pela seleção (126), que defende desde 2009, igualando-se ao ex-goleiro Zubizarreta. Antes deles, Sergio Ramos (178), Iker Casillas (167) e Xavi (133). Sergio Busquets, de 32 anos, oito vezes campeão espanhol, ganhou quatro Ligas dos Campeões e quatro Mundiais de clubes. Carles Busquets, seu pai, ex-goleiro, treina os goleiros do Barcelona.

RECORDISTA – Igual à Alemanha, campeã em 72, 80 e 96, a Espanha poderá se tornar recordista, com quatro títulos da Eurocopa, se for campeã de 2020. Ganhou a primeira em 1964 (2 x 1 na União Soviética, hoje Rússia); a segunda em 2008 (1 x 0 na Alemanha), e a terceira em 2012, com o maior placar de todas as finais: 4 x 0 na Itália. A única final da Eurocopa que a Espanha perdeu foi a de 1984 (2 x 0 para a França).

BOM LEMBRAR – A final Espanha 4 x 0 Itália foi em 1 de julho de 2012, com arbitragem do francês Stéphane Lannoy, no estádio Olímpico de Kiev, capital da Ucrânia. Gols: David Silva, Jordi Alba, e no segundo tempo, Fernando Torres e Juan Mata. Campeões – Casillas, Arbeloa, Piqué, Sergio Ramos e Jordi Alba; Xavi, Busquets, Xabi Alonso e Fàbregas; David Silva (Pedro) e Andrés Iniesta (Juan Mata). Técnico – Vicente Del Bosque, dois anos após ter sido campeão do mundo em 2010.

Foto: Perfil Brasil