O Vasco manteve 100% de aproveitamento no Campeonato Brasileiro, usando bem a vantagem do segundo jogo consecutivo em São Januário, onde havia estreado com 2 x 0 no Sport, e ganhou (2 x 1) do São Paulo, na tarde deste domingo (16). O argentino German Cano marcou os dois gols, e o do São Paulo só foi feito na repetição do pênalti, que Andrey cometeu com o braço, e Fernando Miguel se adiantou à cobrança do lateral Reinaldo. O Vasco chegou aos 16 gols em 18 jogos em 2020.

ATUAÇÃO FIRME – A exemplo dos 2 x 0 no Sport, a vitória sobre o São Paulo foi justa, mesmo com a ligeira vantagem de posse de bola do adversário. O Vasco teve atuação firme, com os zagueiros Ricardo e Castan se destacando pela marcação precisa e leal, e o argentino German Cano mostrou-se outra oportunista, decidindo o jogo em duas finalizações objetivas. A aplicação do time foi outro fator decisivo para a vitória, ocupando bem os espaços na marcação e sempre muito rápido nos contra-ataques.

MARTIN BENITEZmeia argentino criativo e com ampla visão do jogo, também voltou a se destacar, como na vitória sobre o Sport. Ele foi preciso na cobrança do escanteio, aos 17 do segundo tempo, desviado de cabeça por Talles Magno para Cano fazer 1 x 0, sem ter tanto ângulo para finalizar. No segundo gol, aos 30, grande arrancada de Andrey, que deu assistência precisa para Cano ajeitar com a canhota e finalizar de pé direito, antes da linha da pequena área, no canto direito, fora do alcance do goleiro.

BRAÇO DO PÊNALTI – O gol do São Paulo foi na segunda cobrança do pênalti que o meia Andrey cometeu ao abrir o braço esquerdo, após cruzamento de Reinaldo. O árbitro goiano Wilton Sampaio, da FIFA, cotado para a Copa do Mundo de 2022, foi alertado pelo VAR e acertou ao confirmar, após a revisão, assim como ao mandar repetir porque o goleiro do Vasco se adiantou ao defender a primeira cobrança no canto esquerdo. Na segunda, Reinaldo bateu à meia altura, à direita, já aos 52 minutos.

TALLES MAGNO, uma das mais seguras promessas do futebol brasileiro, teve atuação tática importante no jogo, além de se apresentar na marcação, recuando e avançando sempre com muita determinação. O lance mais emocionante do 0 x 0 do primeiro tempo foi sua cabeçada forte e colocada, obrigando o goleiro Tiago Volpi ao reflexo para a melhor defesa do jogo. Talles Magno figurou, com Ricardo, Castan, Andrey, Benitez e Cano, entre os melhores da merecida vitória.

VASCO – Fernando Miguel, Cayo Tenório (Miranda), Ricardo, Castan e Henrique; Andrey, Felipe Bastos (Neto Borges) e Benitez (Parede); Gabriel Pec (Bruno Gomes), Cano e Talles Magno. O técnico Ramon Menezes acertou na única substituição do intervalo, com Bruno Gomes bem melhor que Gabriel Pec. O time volta a São Januário domingo (23) para o jogo com o Grêmio, depois da visita ao Ceará, campeão da Copa do Nordeste, quinta (20), na Arena Castelão, em Fortaleza.

SÃO PAULO – Tiago Volpi, Juanfran (Igor Vinícius), Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê (Gonzalo Carneiro), Igor Gomes (Helinho), Daniel Alves e Liziero (Gabriel Sara); Pablo e Paulinho Boia. Técnico – Fernando Diniz. Depois de perder a invencibilidade para o Vasco, o São Paulo jogará quinta (20) com o Bahia, no Morumbi, e domingo (23), em Recife, com o Sport. 

OITO CARTÕES – O primeiro cartão amarelo foi para o técnico Fernando Diniz, dos que mais reclamam, e cinco jogadores do São Paulo: Arboleda, Reinaldo, Igor Gomes, Liziero e Pablo. Os advertidos do Vasco foram Cayo Tenório e Bruno Gomes. O único erro do árbitro foi o de não ter aplicado cartão no meia Andrey pelo pênalti que cometeu com o braço esquerdo bem aberto. Bom dizer: o Vasco precisa melhorar as condições do gramado do estádio de São Januário.

Foto: Correio Brasiliense