Escolha uma Página

AUTOR DE DOIS DOS SETE GOLS da Espanha, na maior goleada da Copa de 2022, o atacante Ferran Torres comemorou à Cano, que homenageia o filho Lorenzo com L, com um sorriso e um S na direção da namorada Sira, filha do técnico Luis Enrique, a quem se refere sempre como “um pai que me apoia muito”. 

FERRAN TORRES tem a mesma idade (22) de Sira Martinez, campeã espanhola de hipismo e 1.169ª do ranking mundial da categoria. Com a camisa vermelha da seleção, ela estava entre os 40 mil torcedores no estádio Al Thurama, em Doha, e quando Torres foi substituído, retribuiu com o sopro de um beijo.

SEIS COPAS DEPOIS, a Espanha superou sua própria marca, que era de 6 x 1 na Bulgária, em 24 de junho de 1998, única vitória na Copa em que terminou em 17º entre os 32. O meia Luis Enrique, então aos 28 anos, no Barcelona, marcou o 2º gol aos 19 minutos, e foi substituído por Julen Guerrero, aos 24 do 2º tempo.

A SELEÇÃO DOS 6 x 1, na 4ª feira, 24 de junho de 1998: Zubizarreta, Nadal, Hierro, Bajuan e Alcorta; Guillermo Amor, Luis Enrique (Julen Guerrero) e Aguillera; Morientes, Alfonso Perez (Kiko) e Etxberria (Raul Gonzalez). Gols: Hierro, de pênalti, Luis Enrique, Morientes (2), Kiko e Bachev (contra). Técnico – Javier Clemente.

A SELEÇÃO DOS 7 x 0, maior goleada da Espanha em Copas, nesta 4ª feira, 23 de novembro de 2022: Unai Simon, Azpilicueta, Rodri, Laporte e Jordi Alba (Balde); Gavi, Busquets (Koke) e Pedri (Carlos Soler); Ferran Torres (Alvaro Morata), Marco Asensio e Dani Olmo. Técnico – Luis Enrique Martinez.

O CENTÉSIMO GOL da Espanha em Copas do Mundo foi o de Dani Olmo, aos 11 minutos. Marco Asensio fez 2 x 0 aos 21, e Ferran, o 3º, aos 31, de pênalti. No 2º tempo, Ferran Torres marcou o 4º aos 9; Gavi, o 5º, aos 30; Carlos Soler, o 6º, aos 44, e Alvaro Morata fechou a goleada aos 47.

O TÉCNICO LUIS ENRIQUE, bem descontraído na entrevista coletiva do pós-jogo, elogiou a aplicação da equipe e disse que “o grupo está com os pés no chão”. Quando perguntado quem o representava em campo, sorriu: “Só pode ser o Ferran Torres (futuro genro). Se não for ele, a minha filha me mata”…

ESPANHA 7 x 0 COSTA RICA, diante de 40.013 espectadores no Estádio Al Thumama, em Doha, foi apitado por Hassan Mohammed, de 43 anos, dos Emirados Árabes Unidos. Das 20 faltas, 8 da Espanha, e os cartões amarelos nos costa-riquenhos Calvo e Campbell. A Espanha trocou 978 passes, mais 813 que a Costa Rica (163).

  • “A ESPANHA deu um verdadeiro recital de finalização e ousadia” – destacou o diário Mundo Deportivo. “Gavi e Pedri estrearam como se fossem veteranos em Copas do Mundo” – ressaltou o jornal Marca, referindo-se aos meias de 18 e 19 anos do Barcelona. Pedri ganhou o prêmio de melhor jogador jovem da Europa em 2021.
  • APESAR DOS 7 x 0, o goleiro Keylor Navas, de 35 anos, não falhou. Ele brilhou de 2014 a 2019 no Real Madrid, quatro vezes campeão de La Liga e Mundial de clubes, e três vezes da Liga dos Campeões. No PSG, onde está desde 2019, fez bons 108 jogos e ganhou dois campeonatos franceses, até ser substiutuído pelo italiano Gianluigi Donnarumma.

NOVE COPAS DEPOIS, CONTINUA O MESMO

DEPOIS DO ÚLTIMO LUGAR em 1986, quando perdeu os três jogos do Grupo C e sequer fez gol, o Canadá reapareceu nesta 4ª feira (23) perdendo para a Bélgica por 1 x 0, diante de 40.432 espectadores no estádio Ahmed bin Ahli. O goleiro Courtois, do Real Madrid, defendeu pênalti de Alphonso Davies, do Bayern Munique, aos 10.

O GOL QUE DECIDIU o jogo e colocou a Bélgica na liderança do Grupo F foi do atacante Michy Batshuay, de 29 anos, em arrancada e com chute cruzado, após lançamento do zagueiro Alderweireld, aos 43 minutos do 1º tempo. Os canadenses demonstraram cansaço na volta do intervalo e não tiveram forças para empatar.

TERCEIRAO COLOCADO em 2018 ao vencer a Inglaterra, depois de eliminar o Brasil nas quartas de final, o técnico espanhol Roberto Martinez manteve a base da Bélgica, em Courtois, De Bruyne e Witsel, mas não pôde contar na estreia com o goleador Lukaku, ainda se recuperando de problema muscular na coxa.

O LATERAL-DIREITO Thomas Meunier, de 31 anos, ainda está jogando de máscara para se proteger da fratura que sofreu na bochecha, em outubro, na vitória do Borussia Dortmund sobre o Hannover por 2 x 0 pela Bundesliga. 

BÉLGICA 1 x 0 CANADÁ foi bem conduzido pelo árbitro Janny Sikazwe, de 43 anos, da República de Zâmbia, país sem costa marítima no Sul da África. Ele marcou 18 faltas (9 de cada seleção). 

Fotos: R7