Escolha uma Página

O advogado e empresário Alejandro Dominguez, paraguaio de 49 anos, presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol, entregará a taça ao capitão do Santos ou Palmeiras, e será o único dirigente com acesso ao gramado do Maracanã, depois da terceira final entre brasileiros e primeira de times do mesmo estado. A entidade não mistura futebol com política, e a decisão valeu como cartão vermelho ao presidente da República e ao governador de São Paulo, que desistiram de ir ao jogo.

SEXTA EM PÊNALTIS – O equilíbrio é a tônica da final Santos x Palmeiras, não se descartando que os times possam disputar a sexta decisão em pênaltis, se não houver vencedor também na prorrogação de trinta minutos. Quatro, das cinco vezes em que decidiram em pênaltis, foram pelo Paulista: Santos 4 x 2 e foi às semifinais 2013; Santos 4 x 2, campeão em 2015; Santos 3 x 2 e foi às semifinais 2016, e Palmeiras 5 x 3, nas semifinais 2018. Na Copa do Brasil 2015, Palmeiras 4 x 3 nos pênaltis.

REIDRATAÇÃO – O árbitro argentino Patrício Loustau está orientado pelos médicos da Confederação Sul-Americana a parar o jogo, aos 20 minutos de cada tempo, para que os jogadores se reidratem durante dois minutos. A previsão é de tempo bom, com sol, céu claro e temperatura em torno de 40 graus, às 17 horas, quando a bola rolar. Os goleiros estão autorizados a levar garrafa plástica de água mineral, que podem deixar ao lado da trave, além da toalha para enxugar o suor.

PATROCÍNIO – O Santos ganhará R$1 milhão pelo patrocínio master na camisa, só na final de hoje da Libertadores, mas está tentando estender o contrato para o restante da temporada com a Fortinite, considerado o maior jogo do mundo, com 350 milhões de contas e 2.500 milhões de conexões. Fortinite é um jogo eletrônico multijogador online, revelado em 2011.

PRÊMIO MENOR – Santos ou Palmeiras receberá prêmio bem menor ao dos R$82 milhões que o campeão da Libertadores ganhará, na participação do Mundial de clubes, entre os dias 1 e 11 de fevereiro, pelo segundo ano consecutivo no Catar. Com a redução das receitas, provocada pela Covid-19, a FIFA manterá os valores para todas as equipes participantes. Em 2019, o Liverpool campeão recebeu 5 milhões de dólares, e o Flamengo, vice-campeão, 4 milhões de dólares.

FAVORITOS – A tendência é que o Bayern, campeão europeu, e Santos ou Palmeiras, campeão da Libertadores, façam a decisão do Mundial de clubes, dia 11, no Education City, um dos estádios da Copa do Mundo de 2022, a primeira no Oriente Médio. Os clubes não estão de acordo com os valores, mas evitam comentar para manter o bom relacionamento com a FIFA.

Foto: Lance!