Terminou sem vencedor um dos bons clássicos do Nordeste, que Bahia e Fortaleza disputaram na tarde deste domingo (15), na Arena Fonte Nova, em Salvador. Só que os times não jogaram mais de quatro minutos e o placar (1 x 1) se ajustou bem ao que produziram, apenas no primeiro tempo, quando marcaram os gols.

CAVADINHA E PÊNALTI – O campeão cearense, dirigido pelo carioca Zé Ricardo, saiu na frente com o belo gol do atacante Felipe Pires, aos 10 minutos, em cavadinha inteligente, após assistência de Osvaldo, um dos meias mais técnicos do Nordeste. O Bahia teve reação imediata e empatou aos 14, com Gilberto convertendo o pênalti de Carlinhos em Arthur.

BAHIA – Douglas Friedrich, Nino, Lucas, Juninho e Moisés; Gregore, Flavio e Guerra (Arthur Caíke, 22 do segundo tempo); Arthur (Fernandão, 34 do segundo tempo), Gilberto e Lucca (Elber, intervalo). Técnico – Roger Machado. Com 31 pontos – 8 vitórias, 7 empates, 4 derrotas, 22 gols marcados e 16 gols sofridos -, o Bahia terminou o turno em sétimo. Em 10 jogos como mandante, ganhou 6, empatou 3 e só perdeu (1 x 0) para o Santos, que lhe tirou a invencibilidade no estádio de Pituaçu. O Bahia abre o returno com o Corinthians, sábado (21), na Arena Corinthians.

FORTALEZA – Felipe Alves, Tinga, Quintero, Jackson e Carlinhos; Gabriel Dias, Felipe e Romarinho (Mateus Alessandro, 40 do segundo tempo); Osvaldo (Mateus Vargas, 27 do segundo tempo), Wellington Paulista e Felipe Pires (Edinho, 22 do segundo tempo). Com 22 pontos – 6 vitórias, 4 empates, 9 derrotas, 22 gols marcados e 26 gols sofridos -, o campeão cearense desceu uma posição e terminou o turno em décimo quarto. Nos 10 jogos fora de casa, o Fortaleza ganhou 2, perdeu 5 e empatou 3, marcando 12 gols e sofrendo 17. Abre o returno com o Palmeiras, domingo (22), no Castelão, em Fortaleza.

DOIS CARTÕES – Wagner Magalhães, único árbitro FIFA da Federação do Rio de Janeiro, teve atuação facilitada pelo bom nível disciplinar do jogo. Só advertiu com cartão amarelo o lateral Moisés, do Bahia, e o atacante Wellington Paulista, suspenso do próximo jogo. R$873.996,50. 32.092 pagantes, em tarde agradável na Arena Fonte Nova, em Salvador, sempre em alto astral.

Foto: Futebol Bahiano