Escolha uma Página

O paulistano Rogerio Caboclo, de 47 anos, presidente da Confederação Brasileira de Futebol, foi firme na defesa dos árbitros e duro na crítica aos dirigentes, que reclamam de favorecimento a um ou outro clube, ao abrir na noite de ontem (26) a festa de premiação dos melhores do Campeonato Brasileiro 2020. Ele começou o discurso com uma pergunta que provocou silêncio e troca de olhares na plateia: “Se os vinte clubes reclamam porque são prejudicados, quem é o favorecido?”

ORGULHO – Olhando em todas as direções, o presidente da CBF continuou com voz firme: “Estamos seguros de que não há clube prejudicado nem clube favorecido. Se há uma classe isenta, justa, e em que a CBF confia, é a da arbitragem. Todos os árbitros, de todas as séries do Campeonato Brasileiro, são corretos e merecem nosso respeito. O árbitro brasileiro não erra mais do que o árbitro de qualquer outro lugar do mundo. Tenho a honra de dizer com orgulho que o campeão brasileiro se consagrou nas quatro linhas”.

CALENDÁRIO – O presidente da CBF trocou de tema, mas não mudou o tom duro do pronunciamento ao falar sobre o calendário: “Se os clubes jogam 80 jogos é porque assinaram documento para jogar 80 jogos e isso é transformado em calendário pela CBF. O calendário não é feito pela CBF, e não é o presidente da CBF que fez com que o jogador e o técnico, presentes nesta solenidade, disputassem 80 jogos pelos contratos assinados”.

ERRADO E CERTO – Rogerio Caboclo manteve o tom da crítica, ao enfatizar que a CBF não assina contrato: “Digo e repito isso, a todos os presidentes, e o faço de forma bem clara, transparente. Se algum treinador ouviu errado, que agora entenda certo. Não há calendário irracional feito pela CBF. Todos, ou quase todos, dizem que o calendário foi apertado, sem folga para os jogadores. Não há folga em lugar nenhum. Como vamos fazer para que haja folga em plena pandemia?”

TÉCNICO ELOGIA – Na festa, o técnico Tite referiu-se a alguns premiados, começando pelo meia Claudinho, do Bragantino, artilheiro com 18 gols em 35 jogos, que também ganhou os prêmios de Revelação e Craque do campeonato, em votação dos capitães e técnicos das vinte equipes, e de jornalistas. Para o treinador da seleção, “talvez seja o melhor exemplo dos jogadores que desabrocham, crescem e evoluem”. Tite também fez referência a Gerson e Gabriel, e ao goleiro Weverton, do Palmeiras. Bom lembrar: Claudinho dividiu a artilharia do Brasileiro 2020, com 18 gols, com Luciano, do São Paulo.

PANDEMIA – Tite admitiu que os jogadores que atuam no Brasil podem ter mais chances nas primeiras convocações de 2021, devido às restrições da pandemia: “Eu mesmo, aos 59 anos, estou me preservando e não vou esperar que aconteça nada comigo, nem com ninguém da minha família, para dar mais valor à vida”. A seleção fará os primeiros jogos das eliminatórias em março, dia 25 com a Colômbia, em Barranquilla, e dia 30 com a Argentina, na Arena Pernambuco, por sinal os países que dividirão a sede da Copa América, entre 11 de junho e 10 de julho.

Foto: GZH