Com a sétima vitória como visitante, sexta sem sofrer gol, o Ceará confirmou sua posição de melhor do Nordeste no Brasileiro de 2020, com os 2 x 0 da noite de ontem (20) sobre o Coritiba, no estádio Couto Pereira, garantindo a volta à Copa Sul-Americana depois de 11 anos. Embora tenha dominado a maior parte do jogo, o Ceará só fez os gols no segundo tempo, com Felipe Vizeu, emprestado pela Udinese, aos 6 minutos, e Saulo Mineiro, também de 23 anos, que o substituiu, aos 29.

BOM DESTACAR – Depois de quatro derrotas, três empates e só uma vitória (2 x 0) sobre o Atlético Goianiense, no turno, o Ceará deu um salto de qualidade como visitante, no returno, com as goleadas de 4 x 1 no Vasco, em São Januário, e 4 x 0 no Goiás, na Serrinha, e a vitória expressiva (2 x 0) sobre o Flamengo, no Maracanã, além de obter bons empates (1 x 1) com Santos e São Paulo. No returno, o Ceará só perdeu fora de casa para o Grêmio (4 x 2) e o Corinthians (2 x 1).

MELHOR CAMPANHA – Com os 2 x 0 sobre o Coritiba, na noite de ontem (20), na capital do Paraná, o Ceará concluiu os 18 jogos, fora de casa, do Brasileiro 2020, com a melhor campanha de um time do Nordeste: 26 pontos – 7 vitórias, 5 empates -, superando a de 2018 com mais 11 pontos. Se vencer o Botafogo na última rodada, quinta (25), na Arena Castelão, o Ceará ficará com 52 pontos, só a 1 ponto de igualar os 53 do Fortaleza, time cearense com mais pontos no Campeonato Brasileiro.

RICHARD, Eduardo, Tiago, Klaus e Bruno Pacheco (Kelvyn); Naressi (Wescley), Charles e Vinícius; Lima (William), Leo Chu (Rick) e Felipe Vizeu (Saulo Mineiro) – o time do Ceará, bem no meio da tabela, décimo, com 49 pontos – 13 vitórias, 14 derrotas, 10 empates, saldo de dois gols (52 a 50) -, que encerra a bela campanha, que o levou de volta à Copa Sul-Americana depois de 11 anos, na próxima quinta (25), na Arena Castelão, seu palco de honra, em jogo com o Botafogo.

TÉCNICO HISTÓRICO – Augusto Sergio Ferreira, paulista de 55 anos, nascido em Piracicaba, em 7 de setembro de 1965, sexagésimo técnico dos 106 anos do Ceará Sporting Club, entra para a história do clube como o primeiro a iniciar e a terminar um Campeonato Brasileiro, desde a implantação dos pontos corridos em 2003. Guto Ferreira estabeleceu outro recorde, faltando ainda um jogo, ao conseguir 49 dos 111 pontos disputados, superando os 47 pontos que o Ceará obteve em 2010.

BOM LEMBRAR – Recordista de títulos (45) de campeão cearense – uma vez penta (1915-1919); três vezes tetra (75-78, 96-99, 2011-14) e tri em 61-62-63 -, time de maior torcida do Ceará e terceiro do Nordeste -, o Ceará é o único do estado que participou de duas competições internacionais: Copa Conmebol em 1995 e Copa Sul-Americana em 2011. Na primeira segunda-feira de março (1), o Ceará, campeão de 2020, estreará na Copa do Nordeste de 2021 com o ABC, em Natal.

POR QUE VOZÃO? – Fundado na noite da terça-feira, 2 de junho de 1914, o Ceará vai completar 107 anos, mas não é chamado de Vozão por ser o clube mais antigo do estado. O tratamento começou quando o presidente Meton Alencar Pinto, em 1920, recebeu os juvenis do América, que treinavam no campo do Ceará, e passou a tratá-los como netinhos, que retribuíram: obrigado, vovô. O apelido ganhou força mesmo em 2009, quando um torcedor ia aos jogos fantasiado de vovô e os outros passaram a chamá-lo pelo aumentativo Vozão.

MARCA PRÓPRIA – O Ceará é dos poucos clubes brasileiros que produzem seu próprio material esportivo – meia, calção e camisa -, com a marca Vozão. O primeiro presidente do clube foi Gilberto Gurgel, comerciante da Praça do Ferreira, no Centro da cidade, que arrecadou com os sócios 22 mil réis para comprar a primeira bola oficial número 5 usada pelo time. O atual presidente, Robinson de Castro, advogado, perito e contador, projeta o dobro do crescimento do clube para 2021.

Foto: Diário do Nordeste