Ainda que seja só por algumas horas, o Flamengo assumiu a liderança do Campeonato Brasileiro, ao ganhar (3 x 1) do antepenúltimo Coritiba, na noite de ontem (21), no Maracanã, onde o clube mandou encobrir as faixas de protesto em que os torcedores chamavam o time de frouxo. Foi a primeira vitória do técnico Rogerio Ceni, após empatar (1 x 1) com o Atlético Goianiense, e perder dois jogos para o São Paulo, em que o time foi eliminado da Copa do Brasil pelo placar agregado de 5 x 1.

BOA EXIBIÇÃO – Ainda que não tenha sido excepcional nem brilhante, a exibição da noite de ontem (21) no Maracanã foi a melhor desde que o novo técnico assumiu, baseada em determinação desde o início, tanto que o Flamengo fez 1 x 0 logo aos 2 minutos. A jogada bem trabalhada foi concluída de cabeça por Bruno Henrique, que vibrou como se fosse gol de final de Copa do Mundo, após cruzamento sob medida do uruguaio Arrascaeta, que dividiu com Everton Ribeiro o mérito de melhor do jogo.

PREMIADO – Arrascaeta marcou o segundo gol aos 27, emendando de primeira, com chute forte e preciso, o bom cruzamento do lateral Isla, sempre melhor apoiando do que marcando. O Flamengo merecia ter saído para o intervalo com uma goleada, mas a cabeçada de Everton Ribeiro parou no travessão aos 38, e o chute de Bruno Henrique bateu na trave aos 41. O goleiro Wilson reconheceu que o Coritiba não teve como sair da pressão e se disse aliviado só com 2 x 0.

CHANCES – O Flamengo manteve a pegada no segundo tempo, mas não soube converter as chances claras de gol, como a que Bruno Henrique perdeu, logo no início, depois do cruzamento de Everton Ribeiro. É possível que a ansiedade ainda esteja contribuindo para que as finalizações não sejam tão certeiras como, por exemplo, na temporada passada, em que o time aproveitava mais. Ainda assim, é justo ressaltar a evolução da equipe, em comparação com os três jogos anteriores.

A QUINTA – O Flamengo venceu a metade dos 22 jogos, e das 11 vitórias, quinta como mandante, depois de perder (1 x 0) na estreia para o Atlético Mineiro e de ser goleado (4 x 1, de virada) pelo São Paulo. O número elevado de empates (4), todos em 1 x 1, com Grêmio, Botafogo, Bragantino e Atlético Goianiense, está fazendo a diferença nos pontos. A vitória sobre o Coritiba foi a segunda por 3 x 1, placar imposto ao Athletico Paranaense, somada aos 3 x 0 no Sport e aos 2 x 1 no Fortaleza e no Goiás.

O SALDO – O Flamengo continua com o pior saldo de gols (6), entre os quatro primeiros do Brasileirão 2020, e não terminou melhor, depois que o lateral Renê fez 3 x 0 aos 30 do segundo tempo, após boa troca de passes com Vitinho, porque o zagueiro Leo Pereira falhou no gol, nos acréscimos (47), de Mattheus Oliveira, filho de Bebeto, que o homenageou na Copa de 94, ao comemorar o gol na Holanda, com o embala neném. A defesa do Flamengo voltou a mostrar que tem suas recaídas.

CAMISA 200 – O meia Everton Ribeiro ganhou, antes do jogo com o Coritiba, a camisa 200, número de jogos que completou pelo Flamengo na derrota (3 x 0) da última quarta (18), no Morumbi. No clube desde 2017, ele completou 201 jogos com 31 gols, depois de ter confirmado em 2019, como principal referência do time na conquista de cinco títulos, os prêmios que já havia ganhado, com méritos, como melhor jogador dos Brasileiros de 2013 e 2014 no bicampeão Cruzeiro, onde foi peça-chave.

FLAMENGO – Diego Alves, Isla (Mateuzinho), Thuler, Leo Pereira e Renê; Arão, Gerson (Diego), Everton Ribeiro (Lazaro) e Arrascaeta; Bruno Henrique (Michael) e Vitinho (Pedro Rocha). Técnico – Rogerio Ceni. Com 39 pontos em 22 jogos  11 vitórias, 6 empates, 5 derrotas, saldo de 6 gols (37 a 31) -, o Flamengo só voltará a jogar pelo Brasileiro, dia 5 de dezembro, com o Botafogo. O jogo do próximo sábado (28) com o Grêmio, em Porto Alegre, será remarcado, devido à Libertadores.

ARGENTINA – A estreia do Flamengo no mata-mata das oitavas de final da Libertadores será terça (24), no estádio El Cilindro, na cidade de Avellaneda, a seis km de Buenos Aires, com o Racing, último do Grupo A do Campeonato Argentino. Em recuperação, o atacante Gabriel pode voltar, mas Pedro, embora dependa de nova avaliação, deverá ser preservado para o jogo de volta, na terça seguinte (1 de dezembro), no Maracanã. O zagueiro Rodrigo Caio não tem previsão de retorno.

CORITIBA – Wilson, Filemon, Nathan (Brayan) e Sabino; Mailton (Jonathan), Mateus Sales, Galdezani (Yan Sasse), Giovanni Augusto e William Mateus; Robson (Matheus Bueno) e Osman (Mattheus Oliveira). Recuperado da Covid-19, o técnico Rodrigo Santana reapareceu com três zagueiros. Antepenúltimo com 20 pontos em 22 jogos, o Coritiba passou a ser o time com mais derrotas (12), após 5 vitórias, 5 empates e saldo negativo de 11 gols (20 a 31).

TRÊS CARTÕES – Flamengo 3 x 1 Coritiba, com atuação firme do árbitro Ricardo Marques Ribeiro, da Federação Mineira, só registrou três cartões amarelos: Arão, do Flamengo, o único do primeiro tempo, por um carrinho em Galdezani aos 37, e Filemon, aos 23, por falta em Bruno Henrique, e Mateus Sales, aos 43, por falta em Arrascaeta.

Foto: Facebook oficial do Flamengo