Escolha uma Página

Foto: futebolbahiano.org

A Chapecoense chegou aos 34 pontos, mas segue na zona de rebaixamento, mesmo depois de ganhar (1 x 0) do América Mineiro, na noite deste sábado (27), na Arena Condá, em Chapecó, no oeste de Santa Catarina. O gol foi do atacante Wellington Paulista, de cabeça, aos 14 do segundo tempo, dois minutos após entrar no lugar de Osman, na primeira substituição feita pelo técnico santista Claudinei Oliveira, que saiu do Paraná, já rebaixado, “para evitar a queda da Chapecoense”, conforme ele próprio disse.

MUDANÇA – Wellington Paulista estava afastado do elenco, e sua reintegração foi pedida aos dirigentes, no início da semana, por todos os jogadores. O atacante entrou aos 12 minutos do segundo tempo, no lugar de Osman, e aproveitou bem o cruzamento do lateral Eduardo para marcar de cabeça o gol que renovou a esperança da Chapecoense. Volto a recorrer a Waldir Amaral, o narrador que costumava dizer sempre com muita propriedade: “A vida muda de minuto a minuto”.

NÃO SAIU – Com a oitava vitória – todas em seu estádio -, a Chapecoense chegou aos 34 pontos em 31 jogos e terminou a rodada em décimo sétimo lugar, por ter saldo negativo de gols pior que o do América Mineiro, que, apesar da derrota, manteve a décima sexta posição. Chapecoense e América estão iguais em pontos (34), vitórias (8), empates (13), mas o América tem saldo negativo de 10 gols (26 a 36) e a Chapecoense de 15 (30 gols marcados, 45 gols sofridos).

O AMÉRICA MINEIRO, do técnico Adilson Batista, sofreu a décima segunda derrota – nona sem fazer gol -, em 17 jogos como visitante, em que só ganhou dois jogos e empatou três. Na sequência, jogará fora com Internacional, Palmeiras e Fluminense, na última rodada, e em seu estádio Independência, em Belo Horizonte, com Cruzeiro, Paraná, Santos e Bahia. Os adversários da Chapecoense: Botafogo, Sport e São Paulo, na última rodada, e fora de casa, Bahia, Santos, Grêmio e Corinthians.