Escolha uma Página

Foto: Sevilha FC

Sem nenhum demérito à liderança do Sevilha, é forçoso reconhecer que coisas muito estranhas estão acontecendo em La Liga, como é tratado o Campeonato Espanhol. E as duas mais significativas, logo chamam a atenção, precisamente porque são em torno das maiores forças: o Barcelona completou quatro jogos sem vitória, ao empatar (1 x 1) neste domingo (7) com o Valencia, e o Real Madrid, quatro jogos sem fazer gol, ao perder (1 x 0) para o Alavés. 

COINCIDÊNCIA ou não, desde a saída de Cristiano Ronaldo, o time caiu e não conseguiu uma única exibição que merecesse elogio como nos tempos em que o maior artilheiro da Europa vestia a camisa 7. Outra coincidência evidente está na mudança do técnico, após o francês Zidane abrir mão de continuar no clube. A escolha de Lopetegui, demitido da seleção, dois dias antes da estreia da Espanha na Copa do Mundo, ainda não foi correspondida.

TORNA-SE bem difícil explicar mudança tão brusca na queda de rendimento de um time, ainda que a falta de um goleador do nível elevado de Cristiano Ronaldo não possa deixar de ser sentida. É impossível acreditar que o Real Madrid tenha chegado a quatro jogos sem fazer sequer um gol. As duas últimas atuações, no 0 x 0 com o Atlético de Madrid e na derrota (1 x 0) para o bem mais modesto Alavés, são rigorosamente inexplicáveis e, mais que isso, inaceitáveis.

VALE O REGISTRO do título de matéria da edição online desta noite de domingo (7) do diário Marca, principal jornal esportivo da Espanha:“Mbappé, 4 gols em 13 minutos. Madrid, 0 goles em 7 horas”…

DA MESMA forma, qual pode ser a explicação para o declínio do Barcelona nos últimos quatro jogos, com três empates e a derrota para o modesto Leganés? No 1 x 1 deste domingo (7) com o Valencia, em que deixou de se isolar na liderança, mesmo com domínio quase total do jogo no estádio Mestalla, o Barcelona voltou a evidenciar erros imperdoáveis, como no escanteio em que Piqué e Vermaelen falharam feio e o zagueiro argentino Garay aproveitou para abrir o placar.

O MELHOR É SEMPRE destaqueE o melhor, claro, é Messi, que escancarou todo o seu talento no gol de empate, com o chute rasteiro, forte e preciso, antes da meia-lua da área, no canto esquerdo, sem chance para o goleiro brasileiro Neto. A jogada começou com o ex-gremista Arthur, só substituído nos minutos finais por outro brasileiro, Rafinha Alcântara, e passou também pelo uruguaio Luis Suárez. O sexto gol no campeonato, primeiro que Messi marcou fora de casa.

NOVO LÍDER – Com os 2 x 1 no Celta de Vigo, o Sevilha assumiu a liderança com 16 pontos – 5 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, 18 gols pró, 8 contra -, com o Barcelona em segundo, Atlético de Madrid em terceiro e Real Madrid em quarto, todos com 15 pontos, mas com as posições definidas no saldo de gols.

CONFRONTO – Com os amistosos das seleções nas datas Fifa, os campeonatos europeus param e só recomeçam no fim de semana 20 e 21 de outubro. O reinício na Espanha vai valer como decisão da liderança porque Barcelona e Sevilha se enfrentarão no domingo (21), no Camp Nou, em Barcelona.

SUBIDA – Quem deu uma boa subida na rodada foi o Valladolid, recém comprado pelo Ronaldo Fenômeno. Com 1 x 0 no Huesca, que participa pela primeira vez da Série A, o time do Valladolid  terminou a rodada em sétimo com 3 vitórias, 3 empates, 2 derrotas, embora com saldo negativo de um gol (fez 5, sofreu 6).