A Colômbia, dirigida pelo técnico português Carlos Queiroz, estreou com vitória justa (2 x 0) e belos gols de Martinez e Zapata, sobre a Argentina, no terceiro jogo da Copa América, na noite deste sábado (15), na Arena Fonte Nova, em Salvador. R$9.259.710,00. 34.950 pagantes. Após um primeiro tempo sem gol e com poucas finalizações, o jogo melhorou depois do intervalo quando a Argentina tomou a iniciativa dos ataques, mas parou em boas defesas do goleiro Ospina.

BELOS GOLS – Roger Martinez fez o primeiro, aos 26, após lançamento longo em diagonal do meia James Rodriguez. O atacante saiu da marcação do lateral Saravia e bateu de pé direito, assim que entrou na área, acertando o canto esquerdo, sem defesa para o goleiro. O segundo gol, também em jogada bem trabalhada, foi de Duvan Zapata, aos 40, concluindo na pequena área o cruzamento do lateral Tesillo. Empolgado, Zapata jogou a camisa para os torcedores e recebeu o cartão amarelo.

ROGER MARTINEZ, autor do primeiro gol, completará 25 anos no próximo dia 23. É da seleção desde 2016 e marcou seu segundo gol em nove jogos. É do Club America, da Cidade do México. DUVAN ZAPATA, que marcou o segundo gol, tem 28 anos, fez seu primeiro gol em seu nono jogo pela seleção. Joga na Itália desde 2013, é do Atalanta, de Bergamo, emprestado pela Sampdoria, de Genova.

JAMES RODRIGUEZ – O meia de 27 anos foi o destaque, organizando o jogo da seleção combiana com muita precisão, além do lançamento primoroso para o primeiro gol. Joga na Europa desde 2010, com boas atuações no FC Porto, Monaco, Real Madrid e Bayern de Munique, campeão alemão 2018-19. Na Copa de 2014, ganhou da Fifa o prêmio Puskas de gol mais bonito, que marcou no Uruguai. É ex-cunhado do goleiro Ospina, irmão de Daniela, sua ex-mulher, com que teve Salomé, de seis anos. David Ospina, de 30 anos, joga no Arsenal, de Londres, e ganhou duas vezes a Copa da Inglaterra.

CARLOS QUEIROZ – O técnico português de 66 anos dirige a seleção colombiana desde o início de 2019, após comandar Emirados Arábes (98-99), África do Sul (2000-02) e Irã (2011-18), classificando as três para Copas do Mundo. Foi goleiro do Ferroviário, de Nampula, África Oriental, onde nasceu; fez o curso de Engenharia Mecânica, mas preferiu o futebol, tornando-se técnico em 94 na seleção portuguesa sub-20 e no Sporting de Lisboa, que comandou de 94 a 96.

MESSI SAIU DEVENDO – Artilheiro da Europa em 2018-19 com 51 gols em 49 jogos, Messi não teve atuação brilhante como os torcedores esperavam em seu primeiro jogo no Nordeste e o décimo no Brasil. Bem marcado, criou pouco, não aproveitou o rebote do goleiro, na pequena área, cabeceando para fora. O melhor jogador do mundo e capitão argentino, não consegue na seleção o brilho de seus desempenhos notáveis no Barcelona.

SEM GOL APÓS 36 ANOS – Seleção que mais gols marcou (455) na Copa América e com a maior vitória na história do torneio – 12 x 2 no Equador, em 1942 -, a Argentina voltou a perder na estreia depois dos 2 x 1 que levou da Bolívia, em 18 de julho de 1979, no estádio Hernan Siles, em La Paz. A seleção argentina é a segunda que mais ganhou a Copa América, com 14 títulos, superada pelo Uruguai com 15. Fiz a cobertura da última conquista, em 4/7/93, em Guaiaquil, no Equador, em Argentina 2 x 1 México,  apitado pelo mineiro Marcio Resende de Freitas.

COLÔMBIA – Ospina, Medina, Sanchez, Mina e Tesillo; Barrios, Uribe (Cuellar, intervalo), Cuadrado (Lerma, 19 do segundo tempo) e James Rodriguez; Muriel (Roger Martinez, 23 do segundo tempo) e Falcao (Duvan Zapata, 36 do segundo tempo). Em 37 jogos com a Argentina, foi a décima vitória da Colômbia, que perdeu 19 e empatou 8. O próximo jogo da Colômbia é quarta (19), com o Qatar, no Morumbi.

ARGENTINA – Franco Armani, Saravia, Pezzella, Otamendi e Tagliafico; Guido Rodriguez (Guido Pizarro, 21 do segundo tempo), Paredes e Lo Celso; Messi (cap), Aguero (Matias Suarez, 34 do segundo tempo) e Di Maria (De Paul, intervalo). A seleção é dirigida pelo ex-lateral Lionel Scaloni, de 41 anos, que jogou na Itália pela Lazio e Atalanta e pela seleção na Copa de 2006. Foi o técnico campeão mundial sub-20 em 97 na Malásia e assumiu a seleção principal em 2018 após a saída de Jorge Sampaoli. O próximo jogo da Argentina será com o Paraguai, quarta (19), às 21h30m, no Morumbi.

SETE CARTÕES – O árbitro chileno Roberto Tobar, de 41 anos, juiz de direito em Santiago, teve atuação correta. No primeiro tempo, advertiu Falcao por falta em Paredes aos 19, e Guido Rodriguez, por falta em Cuadrado, aos 41. No segundo tempo, Saravia, por falta em Barrios aos 7; Paredes, por reclamação, aos 10; Cuadrado, por falta dura em Messi, aos 15, quando fechou o tempo, formando-se ligeira confusão; Duvan Zapata, ao tirar a camisa para comemorar o segundo gol, e Lerma, por falta em Messi, aos 48 minutos.

MARACANÃ E MINEIRÃO – O domingo da Copa América marcará a estreia de mais quatro seleções: Paraguai x Qatar, às 16 horas, no Maracanã, e Uruguai x Equador, às 19 horas, no Mineirão. As duas últimas a estrear serão Japão e Chile, segunda (17), às 20 horas, no Morumbi. Bom lembrar: neste domingo (16) faz 69 anos que o Maracanã foi inaugurado, em 16 de junho de 1950, com o amistoso das seleções de novos do Rio e São Paulo, que venceu (3 x 1) de virada. O primeiro gol, no então maior estádio do mundo, foi de Didi, que se tornaria um dos maiores jogadores da história, bicampeão mundial em 58/62. Nascido em Campos, Norte do estado, Didi iniciou no Madureira, foi campeão no Fluminense em 51 e no Botafogo em 57 e 61.

Foto: Uol Esporte