Corinthians e Grêmio fizeram jogo muito ruim e foram castigados com o segundo 0 x 0 do Brasileirão 2019, que pode valer a queda de quatro posições do tricampeão paulista, e manterá o tricampeão gaúcho, ainda sem vencer, entre os últimos, podendo até mesmo ser o novo lanterna, se Avaí e Vasco ganharem. O sábado (11) foi de festa na Arena Corinthians, em homenagem ao cinquentenário da Gaviões da Fiel, com todos os jogadores com o número 50 e o nome da torcida na barra da camisa. R$1.581.235,50.  36.360 pagantes, em noite de tempo bom na capital paulista.

BOLA NO BRAÇO – O lance mais questionado do jogo foi o da bola no braço esquerdo do lateral-direito Fagner, do Corinthians, aos 44 do primeiro tempo. O árbitro Marcelo de Lima Henrique, da Federação do Rio de Janeiro, marcou o pênalti, mas, depois de quase quatro minutos de consulta ao árbitro de video, não confirmou. Jogadores e o técnico Renato Gaúcho se revoltaram, embora no intervalo, o técnico e o zagueiro Pedro Geromel, capitão do time, tenham feito reclamação ponderada ao árbitro, que acertou em não confirmar o pênalti. Foi bola no braço mesmo.

CASTIGO MERECIDO – Corinthians e Grêmio tiveram castigo merecido em seu primeiro 0 x 0 no Brasileirão 2019. Os times pouco melhoraram na volta do intervalo, depois de um primeiro tempo sem criatividade e com poucas finalizações. O Corinthians substituiu o argentino Mauro Boselli, apagadíssimo, mas em nada melhorou com Vagner Love no segundo tempo. O meia estreante Regis, que substituiu o equatoriano Sornoza, teve pouco tempo para produzir. Júnior Urso, que entrou no lugar de Ramiro, foi outro que nada acrescentou.

GRÊMIO MUITO MAL – Não à toa o campeão gaúcho está na zona de rebaixamento, após dois empates e duas derrotas e o saldo negativo de dois gols (6 x 8). Antepenúltimo com 2 pontos, o Grêmio pode terminar a quarta rodada em último lugar, se o Avaí vencer o CSA, e o Vasco vencer o Santos. O Grêmio ainda demonstrou sentir, uma semana depois, a virada de 5 x 4 que levou do Fluminense, após fazer 3 x 0 na Arena Grêmio. Uma de suas figuras mais apagadas foi Felipe Vizeu, ex-Flamengo.

CORINTHIANS – Cassio, Fagner, Manoel, Henrique e Avelar; Ralf (cap), Ramiro (Junior Urso, 24 do segundo tempo), Sornoza (Regis, 36 do segundo tempo) e Mateus Vital; Clayson e Mauro Boselli (Vagner Love, intervalo). Técnico – Fabio Carille. Antes do jogo com o Atlético Paranaense, em Curitiba, na quinta rodada, o Corinthians receberá o Flamengo, quarta (15), para o jogo de ida do mata-mata das semifinais da Copa do Brasil.

GRÊMIO – Paulo Victor, Leonardo, Pedro Geromel (cap), Kannemann e Juninho Capixaba; Michel, Mateus Henrique e Montoya (Thaciano, 16 do segundo tempo); Luan (Pepê, 38 do segundo tempo), André (Felipe Vizeu, 33 do segundo tempo) e Everton. Técnico – Renato Gaúcho. O Grêmio terá a semana livre para treinar para o jogo de domingo (19) com o Ceará, em Fortaleza, pela quinta rodada. O primeiro jogo das oitavas de final da Copa do Brasil com o Juventude, em Caxias do Sul, foi reprogramado para o dia 22. O jogo de volta será dia 29 na Arena Grêmio.

SEIS CARTÕES – O árbitro Marcelo de Lima Henrique teve boa atuação também na parte disciplinar, com seis advertências, três em cada tempo, com cartão amarelo. No primeiro, para Mateus Vital, aos 19, por falta em Mateus Henrique; Ramiro, aos 42, por um empurrão em Kannemann, na barreira, e aos 44 para Juninho Capixaba, por falta em Clayson. No segundo, para Leonardo, que levou lençol de Clayson e o acertou com a mão na cara, aos 7; para Michel por falta em Sornoza aos 31, e para Kannemann, também por falta em Sornoza, aos 35, um minuto antes de ser substituído.

Foto: Jovem Pan / UOL