Escolha uma Página

O Corinthians subiu seis posições com a quinta vitória, foi para o décimo lugar com 21 pontos e encostou o Vasco no rebaixamento, após sete jogos sem vencer, na noite de ontem (21), em São Januário, precisando melhorar o gramado e a iluminação. Décimo sexto com 18 pontos, o Vasco estará entre os quatro últimos, se o Athletico Paranaense, com 16 pontos, vencer em casa o Grêmio; ou se o Coritiba, com 16, vencer fora o Ceará, ou se o Bragantino vencer em casa o lanterna Goiás.

NOVO TÉCNICO – Na estreia do técnico português Ricardo Sá Pinto, o Vasco não pôde escalar os argentinos Benitez e Cano, recuperando-se de lesões. O time fez apresentação discreta e já saiu para o intervalo perdendo (1 x 0), com a falha do lateral Caio Tenório, que deu chance ao meia equatoriano JuanCazares criar a jogada para o primeiro gol de Mantuan no campeonato, aos 23 minutos. O Vasco empatou aos 27 do segundo tempo, com Ribamar, de letra, aproveitando o desvio do chute de Talles Magno.

REPETECO – Quando o empate parecia definitivo, o atacante Everaldo, ex-Fluminense, marcou o gol da vitória, aos 47, repetindo o que fizera nos minutos finais do 1 x 0 sobre o Athletico Paranaense, em Curitiba, quando também entrou no segundo tempo. A vitória aliviou bem o Corinthians, que recuperou o ânimo, três dias depois de ter sido goleado (5 x 1) pelo Flamengo. Décimo, o time tem 21 pontos em 18 jogos – 5 vitórias, 6 empates, 7 derrotas -, mas ainda está com saldo negativo de gols (21 a 26).

DOIS JOGOS – Ao sofrer a oitava derrota em dezesseis jogos, o Vasco desceu para o décimo sexto lugar com 18 pontos- 5 vitórias, 3 empates, 8 derrotas, saldo negativo de cinco gols (19 a 24) – e tem dois jogos atrasados, em casa com o Fortaleza e fora com o Palmeiras. O Vasco será visitante no último jogo do turno, domingo (1), com o Goiás, último colocado, no Estádio Olímpico de Goiânia, e o primeiro jogo do returno será com o Palmeiras, domingo, 8 de novembro, em São Januário.

VASCO – Fernando Miguel, Caio Tenório, Miranda, Castan e Henrique; Andrey (Leo Gil), Marcos Junior (Lucas Santos) e Carlinhos; Vinícius (Bruno Gomes), Ribamar (Parede) e Talles Magno. Técnico – Ricardo Sá Pinto. O meia argentino Leo Gil, de 28 anos, fez estreia discreta, ao substituir Andrey, aos 7 do segundo tempo. Ele está no Vasco emprestado pelo Al-Ittihad, de Jeddah, maior cidade portuária da Arábia Saudita. 

CORINTHIANS – Cassio, Fagner, Marlon, Gil e Fabio Santos, ex-Atlético Mineiro, com boa estreia, marcando e apoiando bem; Xavier, Ramiro (Camacho), Ederson (Gustavo) e Mateus Vital; Juan Cazares (Luan) e Mantuan (Everaldo). O árbitro Caio Max Vieira, da Federação do Rio Grande do Norte, teve boa atuação e advertiu com cartão amarelo o zagueiro Castan, do Vasco, e o meia Ederson, do Corinthians. 

FORTALEZA, BICAMPEÃO CEARENSEO lateral-direito gaúcho Tinga, de 27 anos, fez o gol do bicampeonato cearense que o Fortaleza conquistou na noite de ontem (21), ao vencer (1 x 0) o Ceará, que já havia perdido (2 x 1) o primeiro jogo da decisão. O Fortaleza ganhou o quadragésimo terceiro título e agora só está a dois de igualar o Ceará, 45 vezes campeão. O técnico Rogerio Ceni ganhou o quarto título em três anos no Fortaleza, campeão da Série B em 2018; campeão da Copa do Nordeste em 2019, e bicampeão cearense em 18-19. No Brasileiro 2020, o Fortaleza, sétimo com 24 pontos, está seis posições acima do Ceará, décimo terceiro com 19.

Foto: Divulgação