Dos três brasileiros campeões da Premier League 2020-2021, só o atacante Gabriel Jesus participou da vitória de ontem (14) do Manchester City por 4 x 3, no St.James Park, onde os jogadores do Newcastle fizeram o corredor de honra e aplaudiram a entrada em campo da equipe do técnico Josep Guardiola, que poupou os titulares para a decisão da Liga dos Campeões com o Chelsea, dia 29, no estádio do Dragão, do FC Porto. O atacante espanhol Ferran Torres foi o destaque com três gols.

GOL BRASILEIRO – O goleiro Ederson não jogou; foi substituído pelo inglês Scott Carson, de 35 anos, estreante depois de dois anos no City, e o volante Fernandinho, de 36 anos, não saiu da reserva. Gabriel Jesus jogou do início ao fim, com atuação discreta, e o gol brasileiro foi do atacante Joelinton, de 24 anos, campeão pernambucano e da Copa do Nordeste em 2014 pelo Sport, cobrando pênalti que sofreu do zagueiro holandês Nathan Aké, no último lance do primeiro tempo (2 x 2).

SÉTIMO TÍTULO – Um dos 22 fundadores da Premier League, em 1992-93, o Manchester City FC ganhou impulso ao ser comprado em 2008 pelo Grupo Abu Dhabi, dos Emirados Árabes, tornando-se um dos mais ricos e competitivos do mundo, e desde 2011 ganhou cinco de seus sete títulos de campeão inglês. Nos 4 x 3 de ontem (14) sobre o Newcastle, o City estabeleceu outro recorde no campeonato mais valioso do mundo, o de 12 vitórias consecutivas na temporada 2020-2021. 

O PRIMEIRO – O atacante Robinho, revelado no Santos, foi a primeira contratação da era rica do City, que o comprou do Real Madrid em 2008 por 38 milhões de euros, na época, R$100 milhões. Os valores só foram superados em 2011, quando pagou 45 milhões de euros pelo argentino Sergio Aguero, maior artilheiro de sua história, agora de saída para o Barcelona. Outro goleador argentino que consta da lista de notáveis do clube inglês é Carlos Tevez, ainda brilhando no Boca.

OS TÉCNICOS – O ex-atacante Roberto Mancini, maior artilheiro da Sampdoria e atual técnico da Itália, resgatou em 2011-12 o título inglês que o City não ganhava há 35 anos. Ele dirigiu o time em 192 jogos, com 114 vitórias, entre 2009 e 2013. Depois de Mancini, o chileno Manuel Pellegrini, atual técnico do Betis de Sevilha, sexto colocado do Campeonato Espanhol, foi o único sul-americano bem-sucedido no City, campeão da Copa da Liga Inglesa, e com o recorde de 103 gols na temporada 2013-14. 

ENCANTADOR – A primeira temporada de Guardiola foi sem brilho, mas em 2017-18 o City venceu 19 dos 20 primeiros jogos; ficou 22 jogos sem perder; obteve o recorde de 18 vitórias consecutivas, de 100 pontos e de 106 gols em 38 jogos, e ganhou o primeiro título da Premier League, com cinco rodadas de antecedência, igualando o recorde do Manchester United em 2000-01. Até mesmo os analistas ingleses mais conservadores disseram: “O futebol praticado pelo City é simplesmente encantador”.

CAMPEÃO DE TUDO – Guardiola levou o City a todos os títulos em 2018-19, bicampeão inglês – primeiro da história de 127 anos do clube -, campeão da Copa da Inglaterra e da Liga Inglesa. Desde ontem (14) e nos dois jogos finais, terça (18), com o Brighton, e domingo (23) com o Everton, os titulares ficarão só se preparando para a decisão do dia 29 com o londrino Chelsea. Afinal, a “orelhuda”, com é tratada a taça da Champions League, é a cereja que falta no bolo do City e de Guardiola.

Foto: Bleacher Report