Foto: Massimo Pinca/Reuters

Cristiano Ronaldo marcou seu oitavo hat-trick como maior artilheiro da Liga dos Campeões, que ganhou cinco vezes com o Real Madrid, ao fazer os três gols da Juventus nos 3 x 0 da noite desta terça (12), que eliminou o Atlético de Madrid e avançou às quartas de final. Esta foi a quinquagésima primeira vez que o atacante português fez três gols em um jogo!

Outro dado impressionante: Cristiano Ronaldo, maior artilheiro do maior torneio de clubes do mundo, já fez mais gols na Liga dos Campeões que o Atlético de Madrid – 124 x 118 – e mais gols do que 140 times que já participaram conseguiram marcar. Bom lembrar: após a derrota (2 x 0) no jogo de ida em Madrid, o artilheiro prometeu a virada da Juventus em Turim. Cristiano Ronaldo, comemorando os 3 x 0, resumiu: “Foi para isso que a Juventus me contratou”.

CRISTIANO RONALDO fez do Atlético de Madrid sua maior vítima no futebol espanhol. Desde que jogava no Real Madrid, ele marcou 25 gols em 33 jogos com o rival da capital espanhola. Na final da Liga dos Campeões, em 24/5/2014, com 60.976 torcedores, no estádio da Luz, em Lisboa, o Real Madrid goleou (4 x 1) o Atlético de Madrid, com os gols de Sergio Ramos, Bale, Marcelo e Cristiano Ronaldo. O gol do Atlético foi do zagueiro uruguaio Diego Godin. 

DOMÍNIO TOTAL – Foi o que de fato aconteceu na noite desta terça (12), diante de 35.690 torcedores, na Arena Juventus, no norte da Itália. O goleiro polonês Szczesny, de uniforme vermelho, não fez uma só defesa difícil. O primeiro gol de Cristiano Ronaldo, de cabeça, foi aos 27, após cruzamento de canhota do meia Bernardeschi. O artilheiro subiu mais que o zagueiro uruguaio José Gimenez e na pequena área cabeceou à esquerda do goleiro esloveno Jan Oblak. 

FULMINANTE – A volta da Juventus no segundo tempo foi fulminante e Cristiano Ronaldo marcou o segundo gol logo aos três minutos, outra vez de cabeça, após cruzamento sob medida do lateral português João Cancelo. Quando o goleiro rebateu a bola já estava dentro do gol e o árbitro de video ajudou o holandês Bjorn Kuipers, de 45 anos, árbitro Fifa desde 2006, na validação. A Juventus continuou com o domínio, mas só definiu o jogo quando faltavam quatro minutos, além dos cinco de acréscimos.

EMPURRÃO – O árbitro, sempre muito atento, marcou no ato o empurrão do zagueiro uruguaio José Gimenez nas costas do meia Bernardeschi, sem que os demais jogadores do Atlético de Madrid tivessem como reclamar. Cristiano Ronaldo posicionou-se sobre a linha da área e bateu forte de pé direito, no canto direito do goleiro Jan Oblak, que saltou para o lado oposto. Terceiro gol do maior artilheiro da Liga dos Campeões e a classificação da Juventus para as quartas de final. Não houve brasileiro no jogo.

JUVENTUS – Szczesny, João Cancelo, Bonucci, Chiellini (cap) e Spinazzola (Dybala, 22 do segundo tempo); Pjanic, Emre Can e Matuidi; Bernardeschi, Mandzukic (Moise Kean, 35 do segundo tempo) e Cristiano Ronaldo. Técnico – Massimiliano Allegri.

ATLÉTICO – Jan Oblak, Santiago Arias (Vitolo, 33 do segundo tempo), José Gimenez, Diego Godin e Juanfran; Rodri, Saúl Ñíguez e Koke; Lemar (Correa, 11 do segundo tempo), Antoine Griezmann e Alvaro Morata. Técnico – Diego Simeone.

19 FALTAS – Juventus 3 x 0 Atlético de Madrid teve poucos momentos de tensão. Das 19 faltas, 17 foram cometidas pelo Atlético, que teve três jogadores advertidos com cartão amarelo: José Gimenez, pelo pênalti, Vitolo e Juanfran, por falta dura em Cristiano Ronaldo. O único amarelo da Juventus foi para Bernardeschi por atingir Gimenez no rosto. O árbitro Bjorn Kuipers é formado em administração de empresas e sócio da maior rede de supermercados de Oldenzaal, pequena cidade da Holanda, onde nasceu. Ele apitou a final de 2013-14 da Liga dos Campeões, Real Madrid 4 x 1 Atlético de Madrid.

REPETIU SIMEONE – Cristiano Ronaldo não chegou a ficar tão perto da linha lateral do campo, após o jogo, mas comemorou os três gols repetindo, sem levar as mãos à genitália, o gesto do técnico argentino Diego Simeone, depois da vitória de 2 x 0 do Atlético, em Madrid. O atacante não olhou na direção do técnico, mas deixou claro, pelo que se observou, que era para o técnico ver. O artilheiro não chegou a comentar, mas também não escondeu que se sentiu ofendido.

O JORNALISTA Alfredo Relaño, que escreve coluna muito conceituada no jornal AS, de Madrid, deu o título: Cristiano Ronaldo, o Rei da Champions. Na opinião dele, se o atacante não fosse um profissional educado e de alta linhagem, poderia muito bem dedicar os três gols e a classificação da Juventus para as quartas de final ao presidente do Real Madrid. Em uma de suas manchetes, AS destacou: “Cristiano Ronaldo insaciável devorou o Atlético”.

UM TIME SEM ALMA – São muitas e algumas até bem contundentes, as críticas ao Atlético de Madrid pela eliminação, depois de vencer em casa (2 x 0) e de ter a vantagem de poder perder por um gol. MUNDO DEPORTIVO, outro jornal prestigioso de Madrid, estampou: “Um Atlético sem alma cai eliminado ante a Juventus de um grande Cristiano, que pela quinta vez acabou com o sonho de seu rival”. O jornal ressalta ainda: “Foi uma noite negra e que vai deixar vários nomes marcados na história do Atlético”.