Com os dois gols deste primeiro domingo (3) de 2021, na goleada de 4 x 1 sobre a Udinese, Cristiano Ronaldo chegou aos 758 e bateu a marca de 757 de Pelé, entre jogos de clubes e seleções, mas o eterno e único rei do futebol continua absoluto com seus 1.283 gols em toda a carreira, algo pouco provável que outro consiga. A goleada é bom prenúncio para o clássico que o líder Milan, único invicto, e a Juventus, em quinto, disputarão na próxima quarta (6), no mítico estádio de San Siro.

ARTILHEIRO do Campeonato Italiano 2020-2021, com 14 gols em 27 jogos, Cristiano Ronaldo fez o primeiro aos 30, e na volta do intervalo, deu belíssimo passe mágico de trivela para o ponta genovês Federico Chiessa marcar o segundo gol aos 3 minutos. Com assistência do meia uruguaio Betancur, aos 24, Cristiano Ronaldo fez 3 x 0; o meia holandês Zeegelaar fez o gol da Udinese aos 44, mas ainda houve tempo para o argentino Dybala fechar a goleada (4 x 1) aos 47, com o passe do lateral-direito Danilo.

BRASILEIROS – Danilo, de 29 anos, mineiro de Bicas, onde também nasceu o jornalista Marcelo Barreto, foi o melhor brasileiro na primeira rodada de 2021 do Italiano. O outro lateral, Alex Sandro, paulista de 29 anos, foi substituído por Gianluca Frabotta, de 21 anos, uma das gratas revelações da Juventus. O meia Arthur, de 24 anos, ex-Barcelona, ainda não se firmou, e só entrou nos minutos finais, substituindo o norte-americano Weston McKennie, de 22 anos.

O ZAGUEIRO Samir, de 26 anos, 1,90m, natural de São João de Meriti, região metropolitana do Rio, inicia sua quinta temporada na Udinese, vendido por 4 milhões de euros (R$16 milhões) pelo Flamengo, em janeiro de 2016. Ele aparece entre os melhores do campeonato, mesmo atuando em equipe modesta – décima terceira entre as vinte -, dentro do esquema de três zagueiros do técnico Luca Gotti, de 53 anos, que compõe com o francês Sebastian De Maio, de 33, e com o italiano Kevin Bonifazi, de 24.

REENCONTRO – Meia recordista de gols de falta (28) no Campeonato Italiano e campeão do mundo em 2006, o técnico Andrea Pirlo, de 41 anos, foi bicampeão no Milan (2001-11) e tetracampeão na Juventus (2011-15), que hoje dirige, e voltará ao estádio de San Siro para o grande clássico. Se a Juventus vencer, o único invicto Milan, com 37 pontos, também pode perder a liderança, se a Inter, vice-líder com 35, após golear (5 x 1) o Sassuolo, vencer a Sampdoria, na própria quarta (6), no Luigi Ferraris, estádio da cidade portuária de Genova.

O LÍDER INVICTO Milan ganhou (2 x 0) fora de casa do Benevento, mesmo com 10 desde os 33 do primeiro tempo, quando o volante Sandro Tonali, de 20 anos, deu uma sola forte no meia moldavo Artur Ionita, de 30 anos, e foi expulso pelo árbitro Fabrizio Pasquali, que reviu o lance no VAR. O meia marfinense Franck Kessié fez 1 x 0, de pênalti, aos 14, e no segundo tempo, aos 3 minutos, o meia português Rafael Leão marcou o gol mais bonito da rodada, encobrindo o goleiro Lorenzo Montipò.

SEM BRASILEIRO, o líder invicto do Italiano, dirigido por Stefano Pioli, de 55 anos, natural de Parma, teve também boas atuações do goleiro Gianluigi Donnarumma, de 21 anos, 1,96m, e do atacante turco-alemão Hakan Çalhanoglu, de 26 anos. Dezoito vezes campeão, tenta recuperar o título que ganhou pela última vez em 2010-2011, com o técnico Massimiliano Allegri e os brasileiros Robinho, Alexandre Pato e Tiago Silva. O anterior havia sido em 2003-04, último dos sete títulos do grande zagueiro e capitão Paolo Maldini, que só vestiu a camisa do Milan.

Foto: Goal