Cristiano Ronaldo marcou de cabeça o gol do seu primeiro título italiano – o sexto de campeão nacional no terceiro de sua carreira -, faltando ainda três rodadas para o final do Campeonato Italiano 2018-2019, com a Juventus ampliando o recorde de oito campeonatos consecutivos.O time perdia do Torino até os 41 do segundo tempo, quando Cristiano Ronaldo empatou de cabeça (1 x 1), após o cruzamento de Spinazzola. O gol o manteve na liderança da artilharia do campeonato com 21.

O Torino saiu para o intervalo em vantagem com o gol do meia sérvio Sasa Lukic, de 22 anos, jogando bem mais que a Juventus e dando a impressão de que iria quebrar a escrita de 24 anos, tempo que não consegue ganhar o derbi de Turim, quarta maior cidade, depois de Roma, Milão e Napoles, no noroeste italiano. Mas a Juventus voltou melhor no segundo tempo e embora tenha demorado tanto a empatar, alegrou os 41 mil torcedores que lotaram o Allianz Stadium e comemoram o oitavo título.

SUPERGA, 70 ANOS – Juventus 1 x 1 Torino foi antecipado para ontem porque hoje – 4 de maio de 2019 – faz 70 anos da tragédia de Superga, em que o avião Fiat G212, o mais moderno da época, bateu na Basílica de Superga, quando se preparava para aterrar, matando os 31 passageiros, 18 jogadores do Torino, que voltavam de Lisboa após perderem (4 x 3) o amistoso com o Benfica. O Torino era tetracampeão e terminou o campeonato com um time juvenil, no que foi seguido por todos os outros clubes.

O tempo estava muito encoberto, com pouca visibilidade, e a perícia revelou que houve falha do piloto Pierluigi Merone quando o avião se chocou com a Basílica de Superga, inaugurada em 1731. O desastre comoveu o país e mais de 500 mil foram ao enterro. Em 1964, na Volta ao Mundo com o Madureira, visitamos o antigo estádio do Torino, de onde se avista a montanha de Superga.

A CAMPANHA – A Juventus ganhou o inédito octacampeonato italiano, e faltando três rodadas, pode terminar com 98 pontos. Após o empate com o Torino, o time chegou aos 84,4% de aproveitamento, com 28 vitórias, 5 empates, 2 derrotas e saldo de 44 gols (69 x 25). O técnico Massimiliano Allegri, italiano de Livorno, 51 anos, assumiu em 2014 e ganhou os últimos cinco títulos. Na Juventus só há dois brasileiros, o lateral-esquerdo Alex Sandro e o atacante Douglas Costa. É o trigésimo quinto título da Velha Senhora,  como a Juventus é tratada pelos italianos. Dos 35, três títulos invictos em 57-58, 81-82 e 2011-2012.

SEXTO TÍTULO – Tricampeão inglês no Manchester United – segundo time de sua carreira após o Sporting de Lisboa -, Cristiano Ronaldo ganhou o sexto título nacional de sua notável carreira de artilheiro e de craque cinco vezes eleito melhor do mundo. Após 2006-07, 2007-08 e 2008-09 no time inglês, ele foi campeão espanhol no Real Madrid em 2011-12 e 2016-17 e agora campeão italiano 2018-19 em sua primeira temporada pela Juventus.

A Juventus tem 121 anos, fundada em 1/11/1897 e presidida desde 2010 por Andrea Agnelli, neto de Edoardo Agnelli, fundador da Fiat e o primeiro da família a presidir o clube, de 1923 a 1935. Depois, Gianni Agnelli, de 1947 a 1954, e Umberto Agnelli, pai do atual presidente, de 1955 a 1962, quando contratou o carioca Paulo Amaral – 1923 – 2008 -, técnico do Botafogo, que havia sido o preparador fisico da seleção no bicampeonato mundial em 58-62. Foi o único técnico brasileiro da história da Juventus, até 1964.

GRANDES NOMES – O goleiro Gianluigi Buffon, hoje no Paris Saint Germain; o artilheiro Paolo Rossi, de triste lembrança porque fez os três gols que eliminaram o Brasil da Copa de 82, e o meia francês Didier Deschamps, terceiro campeão do mundo como jogador (98 e 2018) e técnico, depois de Zagallo e Beckenbauer, são alguns dos nomes marcantes da história da Juventus. Embora não se use no idioma italiano a letra J, ela é bem usada em Piemontês. Turim, sede da Juventus, fica em Piemonte, segunda maior região da Itália.

Foto: Jornal Destak