Alegre, sorridente, feliz. Foi assim que Cristiano Ronaldo reapareceu ontem, dia dos 127 da Juventus, fundada em 1 de novembro de 1897, em Turim, maior cidade do Norte da Itália, e dedicou os dois gols que marcou nos 4 x 1 no Spezia, pela sexta rodada, aos torcedores do time recordista, 36 vezes campeão italiano, com os últimos nove títulos consecutivos. O maior artilheiro do futebol europeu na era moderna resumiu com uma frase simples: “Voltei a fazer o que mais gosto.

COVID-19 – Cristiano Ronaldo estava fora dos campos desde 27 de setembro, quando testou positivo. No estádio Alberto Picco, em La Spezia, cidade portuária da Ligúria, da bela região Noroeste, o artilheiro entrou aos 11 do segundo tempo, substituindo o meia argentino Paulo Dybala, e só precisou de três minutos para marcar o segundo gol da Juventus, e de mais 13 para fechar a goleada, em cobrança de pênalti, com cavadinha, deixando o goleiro italiano Ivan Provedel, de 26 anos, 1,93m, inquieto, tenso.

BOM DIZER – Foi a segunda vez que Cristiano Ronaldo marcou mais de um gol, saindo do banco de reservas. A primeira, na terça-feira, 26 de dezembro de 2006, no estádio Old Trafford, nos 3 x 1 do Manchester United sobre o Wigan, quando fez dois em oito minutos, o primeiro de cabeça. Bom lembrar: depois do Sporting de Lisboa – 31 jogos, 5 gols, entre 2001 e 2003 -, no Manchester United, seu segundo time – 292 jogos, 118 gols, entre 2003 e 2009 -, até o recorde no Real Madrid, entre 2009 e 2018, com mais gols (450) do que jogos (438).

LÍDER MILAN – As seis primeiras rodadas do Campeonato Italiano mostram equilíbrio entre os mais bem colocados, com o líder Milan, 18 vezes campeão  a última em 2010-11 , do técnico Stefano Pioli, de 55 anos, natural de Parma, com 16 pontos – 5 vitórias, 1 empates -, só 2 pontos à frente do Sassuolo, do técnico Roberto De Zerbi, de 41 anos, nascido em Brescia, e 4 pontos a mais que a Juventus, do ex-meia Andrea Pirlo, de 41 anos, natural de Flero, na Lombardia, recordista italiano de gols de falta.

IBRAHIMOVIC, sueco de 39 anos, artilheiro do campeonato com sete gols em seis jogos, marcou o da vitória (2 x 1) sobre a Udinese, no estádio Friuli, em Udine – a 393 km de Milão -, depois de dar o passe para o francês Franck Kessié fazer 1 x 0. No próximo domingo (8), o Milan recebe o Hellas Verona, no seu majestoso estádio de San Siro, onde na última quinta (29) ganhou bonito (3 x 0) do Sparta Praga, na fase de grupos da Liga Europa.

SASSUOLO – O vice-líder invicto é o Sassuolo, da Emilia-Romanha, região Norte, que viajou 626 km ao Sul, e ganhou (2 x 0) do Napoli, no lindo estádio San Paolo – onde estive com o Madureira, na volta ao mundo de 1964 -, com os gols de Locatelli, de pênalti, e do francês Maxime Lopez, emprestado pelo Olympique Marselha. Quem caiu de rendimento e está em sexto, a 5 pontos do líder Milan, é a arquirrival Inter, que mesmo em casa, só conseguiu empatar (2 x 2) com o Parma, que fez 2 x 0. 

Foto: Facebook do Juventus FC