Cristiano Ronaldo fez gol pelo décimo jogo consecutivo, superando o recorde do francês David Trezeguet, que havia feito nove em 94-95, mas a Juventus levou a virada do Hellas Verona (2 x 1), que subiu três posições e terminou a rodada em sexto, neste sábado (8), diante de 21.300 torcedores, no estádio Marcantonio Bentegodi, em Verona, na região do Vêneto, que ficou famosa no mundo após a encenação da peça Romeu e Julieta, do poeta e dramaturgo inglês William Shakespeare.

LIDERANÇA – Na campanha pela ampliação do recorde consecutivo de títulos italianos, a octacampeã Juventus sofreu a terceira derrota, primeira de virada, em 23 jogos, mas ainda que seja igualada em pontos pela Inter no superclássico deste domingo (9) com o Milan, permanecerá em primeiro com 54, por ter mais uma vitória que a Inter. Todos os gols de Hellas Verona 2 x 1 Juventus foram marcados no segundo tempo.

ZEBRA DE ROMA – Embora teoricamente Juventus e Inter sejam os postulantes mais fortes ao título, a Lazio, de Roma, pode assumir a vice-liderança com 53 pontos, se ganhar do Parma, neste domingo (9), no estádio Ennio Tardini, em Parma, cidade famosa não só pelas excelentes universidades, mas pelo queijo parmesão e pelo delicioso presunto de Parma, como não há outro mais saboroso no mundo. A Inter, com 51 pontos, perde o segundo lugar até mesmo se empatar e o Parma vencer.

DÉCIMO SEGUIDO – Cristiano Ronaldo chegou ao décimo gol consecutivo no campeonato, aos 20 minutos, superando os nove seguidos de David Trezeguet, meia-atacante francês, campeão do mundo em 98, que fez 171 gols em 318 jogos pela Juventus, de 2000 a 2010 pela Juventus, ganhando dois campeonatos italianos. Se fizer gol no próximo jogo, com o Brescia, Cristiano Ronaldo igualará os 11 consecutivos que o argentino Gabriel Batistuta marcou pela Fiorentina na temporada 94-95.

VAR, GOL E PÊNALTI – O árbitro de video entrou duas vezes em ação, anulando na primeira, quando estava 0 x 0, o gol do atacante albanês Kumbulla, do Hellas Verona, por impedimento. E no lance do gol da virada foi fundamental para confirmar o pênalti cometido com o braço pelo zagueiro Bonucci, capitão da Juventus, que Giampaolo Pazzini converteu aos 41. Dez minutos antes, Fabio Borini havia feito o gol de empate do Hellas Verona.

29 FALTAS, 5 CARTÕES – O árbitro Davide Massa, de 38 anos, FIFA desde 2014, usou bem a energia para controlar os ânimos do jogo, mas não teve como evitar cinco cartões amarelos, três para o argentino Dybala; o zagueiro italiano Leonardo Bonucci, pelo pênalti com o braço, e o lateral-esquerdo paulista Alex Sandro, único brasileiro do jogo. Os advertidos do Hellas Verona foram Borini e Pazzini, que se excederam ao comemorar os gols.

ANTIRRACISMO – A Federação Italiana decidiu intensificar a campanha contra o racismo e colocou coletes especiais nos seguranças, com câmeras acopladas no peito, a fim de facilitar a identificação e a consequente punição dos torcedores. A câmera tem 81,5 milímetros de comprimento, 54,5 milímetros de largura e capacidade de 64 gigabytes. Nenhum caso de ofensa racista foi registrado em Hellas Verona 2 x 1 Juventus.

Foto: India TV