Escolha uma Página

Foto: tellerreport.com

A Juventus de Turim, única equipe invicta do Campeonato Italiano 2018-2019, com 12 vitórias e 1 empate, abre neste 1 de dezembro a décima quarta rodada com a Fiorentina, décima colocada, em jogo aguardado com intensa expectativa na cidade de Florença, uma das mais belas da região da Toscana. O estádio Artemio Franchi terá a lotação completa de 37 mil torcedores. Os times são comandados por técnicos italianos. Massimiliano Allegri (Juventus), 51 anos, nascido em Livorno, e Stefano Pioli, 53 anos, natural de Parma, onde se produz o presunto mais gostoso do mundo.

O zagueiro Vitor Hugo, campeão da Copa do Brasil 2015 e do Campeonato Brasileiro 2016, vendido por oito milhões de euros – R$30 milhões – pelo Palmeiras – 128 jogos, 14 gols – em junho de 2017, está muito bem adaptado à Fiorentina e terá a missão de marcar Cristiano Ronaldo, que divide a artilharia com o polonês Piatek: “É tarefa das mais complicadas, mas estou pronto” – diz Vitor Hugo, melhor zagueiro do Brasileiro 2016, junto com Geromel, e o que mais fez gol (14 em 2 anos) pelo Palmeiras, sempre comemorando com sua marca registrada, o salto mortal.

VITOR HUGO é da região norte central do Paraná, nascido no município de Guaraci, em 20/5/91. Seu sobrenome Franchescoli foi escolhido pelo pai, em homenagem ao meia uruguaio Enzo Franchescoli, que ganhou três das cinco finais da Copa América, e brilhou na Itália pelo Cagliari, com 17 gols em 98 jogos, entre 90 a 93. Ele foi um caso raro no Uruguai, por nunca ter jogado pelos maiores times do país, o Peñarol e o Nacional.

ATAQUE x DEFESA – A Fiorentina tem a segunda defesa menos vazada do campeonato, junto com a da Inter de Milão – 10 gols em 13 jogos – e a Juventus têm o ataque mais positivo (28 gols em 13 jogos). A diferença de pontos é de 19, com a líder Juventus somando 37 – doze vitórias e um empate – e a Fiorentina, 18 – quatro vitórias, seis empates, três derrotas -, o que pode dar à Juventus, em caso de vitória, a vantagem de cinco pontos sobre o vice-lider Napoli, que fecha a rodada, segunda (3), em Bergamo, com o Atalanta, nono com 18 pontos.

BRASILEIROS – Além de Vitor Hugo, faz parte do elenco atual da Fiorentina o meia Gerson, ex-Fluminense, emprestado pela Roma. Mas, na história de 92 anos da Fiorentina, fundada em 29/8/1926, três brasileiros brilharam e foram capitães do time: o meia Chinesinho (ex-Palmeiras), de 57 a 64; Sócrates (ex-Corinthians e Flamengo), em 84/85, e Dunga, de 90 a 92. Depois de dirigir a seleção na Copa de 90, na Itália, o técnico Sebastião Lazaroni foi o único brasileiro a comandar a Fiorentina de 90 a 92. A Fiorentina só ganhou duas vezes o Campeonato Italiano, em 55-56 e 68-69.

O argentino Gabriel Batistuta é o maior artilheiro da história da Fiorentina, com 202 gols em 328 jogos, entre 91 e 2000. O segundo, o sueco Kurt Hamrim, com 50 gols em 150 jogos, de 1958 a 1967. Hamrim foi da seleção sueca vice-campeã do mundo em 1958, que perdeu a decisão (5 x 2) para o Brasil na tarde do domingo 29 de junho, no estádio de Estocolmo, a capital do país. Certa vez, Hamrim resumiu: “Ninguém ganharia de uma seleção com Pelé e Garrincha. Era muita covardia”.