O Cruzeiro deu um show no Atlético e com os 3 x 0 da noite desta quinta (11), no Mineirão, o recordista de seis títulos da Copa do Brasil praticamente garantiu a vaga na semifinal com Internacional ou Palmeiras. O campeão mineiro já saiu para o intervalo com 2 x 0 e atuação notável de Pedro Rocha, que marcou o primeiro gol e deu a assistência para Tiago Neves fazer o segundo. O terceiro gol foi de Robinho, após jogada de Marquinhos Gabriel, logo no início do segundo tempo. R$2.190.896,00. 46.113 pagantes.

SUPERAÇÃO – O Cruzeiro mostrou ser uma equipe que sabe se superar nos momentos mais adversos. Depois de nove jogos sem vencer no Brasileirão, em que é antepenúltimo, e enfrentando problemas internos de administração, o time fez uma exibição segura, dominou o arquirrival do início ao fim e saiu com a classificação praticamente garantida para as semifinais da Copa do Brasil, em que poderá ser o primeiro a ganhar três vezes consecutivas. O Cruzeiro pode perder o segundo jogo por dois gols.

NO ÂNGULO – O primeiro, que Pedro Rocha marcou aos 12 minutos, foi o mais bonito dos três gols. Ele arrancou do próprio campo, deu belo drible em Elias e finalizou de canhota, da entrada da área, no ângulo esquerdo. Veloz e habilidoso, Pedro Rocha, de 24 anos, 1,78m, é capixaba de Vila Velha, na Grande Vitória, foi campeão da Copa do Brasil em 2016 e da Copa Libertadores em 2017 pelo Grêmio, que o vendeu por 12 milhões de euros (R$49 milhões) ao Spartak Moscou. Emprestado pelo clube russo até dezembro, o atacante foi campeão mineiro de 2019 pelo Cruzeiro, onde chegou em abril.

TIAGO NUNES – O meia canhoto curitibano de 34 anos, 1,82m, mantém há dois anos o toque de alta classe no meio-campo do campeão mineiro. Com mais uma atuação notável, Tiago Neves soube se colocar bem para fazer o segundo gol, aos 25 minutos, depois que Pedro Rocha driblou o zagueiro Igor Rabello e o goleiro Victor, deixando-o livre na pequena área para finalizar com um leve toque. O Cruzeiro poderia ter saído para o intervalo com vantagem mais ampla, mas o Atlético tem um bom goleiro.

LIQUIDOU CEDO – O Cruzeiro voltou do intervalo com a mesma disposição e liquidou o jogo logo aos nove minutos, com o gol de Robinho, meia de 31 anos, 1,70m, paranaense de Marialva, a capital da uva fina, a 430 km da capital Curitiba. Robinho vai completar três anos como jogador emprestado pelo Palmeiras, de onde saiu em 2016 e para onde voltará em dezembro. A jogada do terceiro gol foi de Marquinhos Gabriel e Robinho marcou a rebatida do zagueiro Rever.

CRUZEIRO – Fabio, Lucas Romero, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Fred, 27 do segundo tempo) e Tiago Neves (David, 46 do segundo tempo); Marquinhos Gabriel e Pedro Rocha (Jadson, 31 do segundo tempo). Técnico – Mano Menezes. A vitória aumentou o ânimo de jogadores e torcedores para o jogo de domingo (14) com o Botafogo, quando o Cruzeiro poderá sair do rebaixamento.

ATLÉTICO – Victor, Patric, Igor Rabello, Rever e Fabio Santos; Zé Welison (Jair, 30 do segundo tempo), Elias, Luan (Otero, intervalo) e Cazares (Geuvânio, 21 do segundo tempo); Chará e Alerrandro. Técnico – Rodrigo Santana. O Atlético terá o mando do segundo jogo, quarta (17), no estádio Independência, do América, no bairro do Horto. Para passar às semifinais terá que ganhar por quatro gols. Se vencer por três, decide nos pênaltis.

SEM CARTÃO – Apesar da grande rivalidade e do clima nervoso que sempre domina o maior clássico mineiro, Cruzeiro e Atlético fizeram jogo limpo, com faltas normais. O árbitro Raphael Claus, da Federação Paulista, não mostrou sequer um cartão amarelo, e sua atuação foi das mais tranquilas. Os torcedores do Atlético deram muito trabalho à PM e tiveram que ser contidos até com uso da força. Muitos tentaram pular catracas para entrar sem pagar e foram duramente impedidos.

Foto: Correio do Povo