A segunda vitória consecutiva sobre paulistas, fez o Cruzeiro conseguir pelo menos um pernoite fora do rebaixamento, ao ganhar (2 x 1, de virada) do Corinthians, na noite deste sábado (19), na Arena Corinthians. O lateral Fagner fez 1 x 0 aos 34 com chute cruzado e Fred empatou em cobrança de pênalti aos 38.

A VIRADA – O gol da vitória do bicampeão mineiro sobre o tricampeão paulista foi de Ederson, aos 26 do segundo tempo. Atento, ele aproveitou a bola mal atrasada por Fagner e antes de marcar ainda driblou o goleiro Walter, 31 anos, 1,88m, completando seis anos no clube, e que só jogou porque Cassio teve que cumprir suspensão.

A JOIA -O Cruzeiro trata o meia Ederson, sul-matogrossense de 20 anos, 1,82m, nascido na capital Campo Grande, em 7 de setembro de 99, como uma joia. Foi seu décimo terceiro jogo e o primeiro gol que marcou como profissional. Por uma dessas ironias do destino, único a receber cartão amarelo e fora do próximo jogo com o Fortaleza.

A PRIMEIRA – O gol de Ederson valeu a primeira vitória do Cruzeiro como visitante, depois de 10 empates e 11 derrotas. A sexta vitória fez o time somar 28 pontos, mas ainda com saldo devedor de 12 gols, com 22 marcados e 34 sofridos. O Cruzeiro pode terminar a rodada 27 em décimo quinto, se CSA e Ceará, com 26, não vencerem o Bahia e o Botafogo.

CORINTHIANS – Walter, Fagner, Bruno Mendez, Marlon e Avelar; Ralf, Pedrinho (Clayson, 36 do segundo tempo), Sornoza (Jadson, 12 do segundo tempo) e Mateus Vital (Vagner Love, 30 do segundo tempo); Janderson e Gustavo. Quarto com 44 pontos – 11 vitórias, 11 empates, 5 derrotas, 30 gols pró e 20 contra -, perde três posições, se Bahia (41),  Internacional (42) e São Paulo (43) vencerem, e terminará a rodada em sétimo lugar.

CRUZEIRO – Fabio, Orejuela, Dedé (Cacá, 19 do primeiro tempo), Fabrício e Egídio; Henrique, Ederson, Robinho (Ariel Cabral, 30 do segundo tempo) e Tiago Neves; Marquinhos Gabriel e Fred (Joel, 32 do segundo tempo). Técnico – Abel Carlos da Silva Braga. O zagueiro Dedé foi substituído porque voltou a ter problema no joelho. 

EXPULSÃO – O técnico Fabio Carille, do Corinthians, foi expulso aos 27 do segundo tempo, quando chegou a entrar em campo para reclamar de forma grosseira com o árbitro Bruno Arleu Araújo, da Federação do Rio de Janeiro e do quadro nacional da CBF. Carille se revoltou com o segundo gol do Cruzeiro, depois que o assistente levantou a bandeirinha, mas logo baixou. O gol foi legal.

NO PRÓXIMO jogo, com o Santos, sábado (26), na Arena Corinthians, o time não terá o lateral Fagner, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. O paulistano de 30 anos, ele marcou o gol 11 mil da história do Corinthians, que defende desde 2015, com apenas seis gols em 265 jogos completados neste sábado (19).

Foto: Superesportes