O Cruzeiro impôs ao Botafogo a segunda derrota consecutiva – 2 x 0, na noite de ontem (31), no estádio Nilton Santos, e depois de dez rodadas saiu do rebaixamento e deixou o Fluminense como primeiro dos quatro últimos, faltando nove rodadas para o final do Brasileirão 2019. Foi a sétima vitória do Cruzeiro e a décima sexta derrota do Botafogo.

O PRIMEIRO – O Cruzeiro saiu para o intervalo com 1 x 0, com o primeiro gol do zagueiro Cacá como profissional, completando de cabeça o escanteio do meia Tiago Neves, aos 26 minutos. Aos 20 anos, 1,86m, formado na base do clube, o mineiro Cacá foi flagrado com maconha, em blitz da PM, em 2018, na Pampulha, área nobre de Belo Horizonte.

ACRÉSCIMOS – O Botafogo tentou reagir no segundo tempo e contou com o apoio da torcida, mas o Cruzeiro soube se defender e manter a vantagem. Em um de seus poucos ataques, o meia Ederson acertou chute forte e acabou marcando o segundo gol, nos acréscimos, aos 49. 

MAIOR PÚBLICO – Botafogo 0 x 2 Cruzeiro, na noite de ontem (31), registrou o maior público do time em 2019, no estádio Nilton Santos, com 20.690 pagantes. O recorde anterior, com menos 943 pagantes, era o do empate (1 x 1) com o Juventude, de Caxias do Sul, na noite de 4 de abril, jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil, com 19.747.

BOTAFOGO – Gatito, Marcinho, Joel Carli, Gabriel e Yuri; Gustavo (Vinícius, 34 do segundo tempo), João Paulo, Luis Fernando e Diego Souza; Valencia (Alex Santana, 20 do segundo tempo) e Victor Rangel (Igor Cassio, intervalo). Técnico – Alberto Valentim. Décimo quarto com 33 pontos – 10 vitórias, 3 empates, 16 derrotas e saldo negativo de 10 gols (25 a 35), o próximo jogo é com o Santos, domingo (3), na Vila Belmiro.

CRUZEIRO – Fabio, Orejuela, Cacá, Fabrício e Egídio; Henrique, Ederson, Marquinhos Gabriel (Dodô, 24 do segundo tempo) e Tiago Neves; David (Sassá, 30 do segundo tempo) e Fred (Ariel Cabral, 28 do segundo tempo). Técnico – Abel Braga. O próximo jogo é com o Bahia, domingo (3), no Mineirão.

CARTÃO DIFERENTE – Cinco jogadores do Botafogo estavam pendurados com dois cartões amarelos, mas nenhum foi advertido. O árbitro Caio Augusto Vieira, da Federação do Rio Grande do Norte, aplicou um amarelo diferente, no meia Tiago Neves, por simular cãibra aos 40 do segundo tempo. Os outros dois advertidos do Cruzeiro foram Dodô e o zagueiro Fabrício, suspenso do próximo jogo. R$305.525,00. 20.690 pagantes.

290 JOGOS, 661 GOLS

Com os nove gols nos quatro jogos que completaram a vigésima nona rodada na noite de ontem (31), o Brasileirão 2019 registra 661 gols em 290 jogos, média de 2.27 gols por jogo. Não houve 0 x 0 em 10 das 29 rodadas. 264 gols foram marcados no primeiro tempo.

PIOR MARCA – O Brasileirão 2019 só registra 12 gols de falta em 290 jogos. É a pior marca desde 2009, quando o atual líder Flamengo foi campeão pela única vez nos pontos corridos. Em 2017, foram 17 gols de falta, e em 2018, 27 gols.

O ATAQUE – O Flamengo tem o ataque mais positivo do Brasileirão 2019, com 60 gols em 29 jogos, média de 2.06 gols por jogoO segundo ataque é o do Grêmio, com 50 gols, média de 1.72 por jogo. O Palmeiras, com 47 gols, tem média de 1.62 jogo.

A DEFESA menos vazada é a do São Paulocom 20 gols. Palmeiras e Corinthians têm a segunda defesa menos vazada: 22. A do Flamengo, com os dois gols que sofreu do Goiás, passou a ser a terceira, com 24.

MANDO DE CAMPO – Os times que jogaram em casa ganharam 143 dos 290 jogos. Os visitantes venceram 73, superados pelo número de empates: 74.

SÓ DOIS – Grêmio e Atlético Mineiro foram os únicos a ganhar de virada do mesmo adversário, no turno e no returno. O Grêmio ganhou do Vasco, 2 x 1 na Arena Grêmio e 3 x 1 em São Januário. O Atlético venceu o Ceará, 2 x 1, em Fortaleza, e em Belo Horizonte.

Foto: UOL