Primeiro brasileiro a estrear nas oitavas de final da Libertadores, o Cruzeiro segurou o 0 x 0 com o River Plate, atual campeão, que isolou um pênalti na cobrança do atacante Matias Suarez, aos 53 do segundo tempo, na noite desta terça (23), no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. A vaga será decidida na próxima terça (30), no Mineirão, e o vencedor disputará as quartas de final com com Cerro Porteño (Paraguai) ou San Lorenzo (Argentina).

GOL ANULADO – O River dominou a maior parte do primeiro tempo, com o Cruzeiro limitando-se a poucos contra-ataques, mas sem que os times criassem jogadas claras de gol. Os goleiros Franco Armani e Fabio, que ampliou seu recorde de jogos com 842, desde 2005 com a camisa do Cruzeiro, não chegaram a ser exigidos. Com o meia argentino Ariel Cabral no lugar de Robinho, o Cruzeiro voltou melhor para o segundo tempo e teve gol deMarquinhos Gabriel, logo aos dois minutos, anulado pelo VAR.

EQUILÍBRIO –O jogo foi mais equilibrado no segundo tempo, ainda que o River tenha tido um pouco mais de iniciativa. As melhores chances foram nos minutos finais, com Pratto cabeceando rente ao travessão, aos 39, e Egidio finalizando por cima aos 42. Um minuto antes, os jogadores do River pediram pênalti, após defesa de Fabio. A bola bateu no pé e na mão do lateral Orejuela, mas o árbitro consultou o VAR e, com acerto, não confirmou.

PÊNALTI – A maior chance mesmo foi aos 53 minutos, após escanteio do lateral Montiel. Ao subir, o volante Henrique puxou Pratto pela camisa, o árbitro não viu, mas os jogadores do River reclamaram muito. O árbitro então foi consultar o VAR e marcou o pênalti, que o atacante Matias Suarez bateu forte de pé direito, mas isolou e a bola saiu por cima da trave. Os muitos torcedores do Cruzeiro, de BH e de várias cidades do interior, felizes e exibindo faixas, comemoraram o resultado.

NO MINEIRÃO – Cruzeiro e River precisarão ganhar na próxima terça (30), no Mineirão, para passar às quartas de final. Em caso de novo empate, a decisão será nos pênaltis. Antes, o Cruzeiro jogará pela décima segunda rodada do Brasileirão com o Atlético Paranaense, sábado (27), às 19 horas, no Mineirão. Décimo sexto com 10 pontos, o campeão mineiro precisa da terceira vitória para se afastar mais da zona de rebaixamento.

QUATRO CARTÕES – O chileno Julio Bascuñan foi correto na arbitragem de River 0 x 0 Cruzeiro, acertando ao invalidar o gol do Cruzeiro e ao marcar o pênalti em favor do River. Os quatro cartões amarelos que aplicou foram no segundo tempo: Enzo Perez, aos 4, por falta em Pedro Rocha; De La Cruz, aos 14, por uma sola em Orejuela; David, aos 47, por impedir que Angileri cobrasse falta, e Leo, aos 48, por falta em Pratto. Foi à beira do campo e pediu calma ao técnico Marcelo Gallardo, do River, que reclamou mais que Mano Menezes, técnico do Cruzeiro.

RIVER PLATE – Franco Armani, Montiel, Lucas Martinez, Javier Pinola (Rojas, 33 do primeiro tempo) e Angileri; Enzo Perez, De la Cruz (Ferreira, 26 do segundo tempo), Palacios e Fernandez; Matias Suarez e Julian Alvarez (Pratto, 16 do segundo tempo). O zagueiro e capitão Javier Pinola foi substituído porque teve estiramento na face posterior da coxa direita.

CRUZEIRO – Fabio, Orejuela, Dedé, Leo e Egídio; Henrique, Lucas Romero (Jadson, 32 do segundo tempo), Robinho (Ariel Cabral, intervalo) e Tiago Neves (David, 17 do segundo tempo); Marquinhos Gabriel e Pedro Rocha. A maioria dos jogadores do Cruzeiro usou luvas, devido ao frio de sete graus durante o jogo no Estádio Monumental de Nuñez.

Foto: Metrópoles