Na estreia do técnico Rogerio Ceni, aclamado pelos torcedores, que repetiram seu nome em coro bem alto no Mineirão, o Cruzeiro conseguiu sair e recolocar o Fluminense no rebaixamento, ao mesmo tempo em que ajudou o Flamengo, com os 2 x 0 sobre o ainda líder Santos, na tarde deste domingo (18). R$629.491,00, com mais de 43 mil presentes, embora o público pagante tenha sido anunciado em 36.975.

11 JOGOS DEPOIS – O Cruzeiro voltou a vencer depois de 11 jogos – 5 empates, 6 derrotas, sem fazer gol em cinco jogos – e com a terceira vitória, todas no Mineirão, terminou a rodada em décimo sexto lugar, com 14 pontos em 15 jogos – 3 vitórias, 5 empates, 7 derrotas -, mas ainda com saldo devedor de 9 gols (13 a favor, 22 contra). Na próxima rodada, será visitante no jogo com o CSA, domingo (25), no estádio Rei Pelé, em Maceió.

EXPULSÃO AJUDOU – O Santos ficou sem o zagueiro Gustavo Henrique, expulso logo aos três minutos, por um carrinho em Pedro Rocha, na entrada da área, em decisão correta do árbitro após consultar o VAR. O Cruzeiro exerceu domínio, embora só tenha feito o primeiro gol aos 44. Fred, que não marcava há 16 jogos, aproveitou bem a assistência de Tiago Neves, que fez 2 x 0 logo aos 2 minutos do segundo tempo.

O CRUZEIRO teve outras chances para golear no segundo tempo, mas parou em grandes defesas do goleiro Everson. O técnico argentino Jorge Sampaoli teve que remanejar o sistema defensivo com a expulsão do zagueiro Gustavo Henrique. O lateral Evandro foi substituído aos 8 minutos pelo estreante Pará, ex-Flamengo, que saiu no intervalo para a entrada de Luis Felipe, que formou a zaga com Lucas Veríssimo. O Santos já não contava com o lateralVictor Ferraz, suspenso.

OS 11 SEM VITÓRIA – O Cruzeiro vinha de seis derrotas e cinco empates: 0 x 0 com Bahia, Botafogo e Corinthians; 1 x 1 com o São Paulo e 2 x 2 com o Avaí, e 0 x 2 com Atlético Mineiro e Atlético Paranaense; 1 x 2 com Fortaleza e Chapecoense; 1 x 4 com o Fluminense e 1 x 3 com o Internacional. A última vitória do Cruzeiro havia sido na terceira rodada, dia 5 de maio, no Mineirão, 2 x 1 sobre o Goiás.

CRUZEIRO – Fabio, Orejuela, Dedé (Cacá, 8 do segundo tempo), Fabrício Bruno e Egídio (Fred, 25 do primeiro tempo); Henrique, Dodô, Tiago Neves e Marquinhos Gabriel; David (Robinho, 22 do segundo tempo) e Pedro Rocha. O jogo marcou a estreia do técnico Rogerio Ceni, ex-Fortaleza, campeão do Ceará e da Copa do Nordeste. 

SANTOS – Everson, Evandro (Pará, 8 do primeiro tempo e Luis Felipe, intervalo), Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Carlos Sanchez (Alisson, 17 do segundo tempo) e Felipe Jonathan; Derlis Gonzalez, Eduardo Sasha e Soteldo. Foi a terceira derrota do Santos como visitante, segunda consecutiva, mas o time se mantém na liderança com 32 pontos, dois à frente do Flamengo, novo vice-lider, com 30.

O Santos fará o próximo jogo na Vila Belmiro, domingo (25) com o Fortaleza.DOIS AMARELOS – O único cartão aplicado ao Santos pelo árbitro Anderson Daronco, da Federação Gaúcha e da FIFA, com atuação correta, foi o do zagueiro Gustavo Henrique, expulso aos três minutos pelo carrinho em Pedro Rocha. Os dois cartões amarelos foi aplicados em jogadores do Cruzeiro – Fred e Tiago Neves -, por coincidência, por faltas duras no atacante venezuelano Soteldo.

Foto: UOL Esporte