O TÉCNICO CUCA PEDIU E OBTEVE AUTORIZAÇÃO DA FAMÍLIA DE TELÊ SANTANA para homenagear o técnico do primeiro Campeonato Brasileiro, que o Atlético Mineiro ganhou há 50 anos no Maracanã. Então aos 40 anos, Telê Santana fez a promessa de caminhar de Belo Horizonte a Congonhas, se o Atlético fosse campeão, mas não conseguiu completar o percurso a pé, devido ao cansaço e às dores no joelho, decorrentes de problemas do tempo de jogador.

CUCA LIGOU NO INÍCIO DA SEMANA para Renê Santana, que ficou ao mesmo tempo surpreso e feliz com o contato, dizendo ao técnico, que pode ser campeão hoje (2), se o Atlético vencer o Bahia: “A família está honrada e agradecida, Cuca. Sua ideia nos deixa muito felizes, em homenagear a memória do meu pai”. Renê tinha 14 anos em 1971, quando Telê Santana ganhou o primeiro título de campeão brasileiro como técnico.

NO DIA SEGUINTE AO DA CONQUISTA, Telê Santana acordou às 5 horas, apesar de ter dormido pouco, tomou o café servido pela esposa Ivonete, com os filhos Sandra e Renê, e saiu do apartamento na Savassi, bairro elegante de BH, vendo o sol nascer, para pagar a promessa. Telê caminharia 70 km até Congonhas, para fazer a oração, diante da imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, na capela do distrito de Pires.

AO ACESSAR A BEIRA DA ESTRADA, acompanhado do preparador físico Leo Coutinho, do enfermeiro Otacílio Veloso e do diretor de futebol Neri Campos, então vereador, Telê Santana tirou a camisa e fez várias paradas para se reidratar, tomar fôlego e atender os torcedores que o reconheciam. Uma das versões da época, era a de que o técnico não teria completado a caminhada, mas chegou à capela em um carro da Polícia Rodoviária Federal e pagou a promessa.

UMA OUTRA VERSÃO diz que, por Telê Santana não ter chegado a pé à igreja, o Atlético foi penalizado por tantos anos sem o título, chegando a cinco vice-campeonatos, um deles invicto. Telê Santana saiu do Itabirense para o América de São João del-Rei e daí para o Fluminense, aos 18 anos, bicampeão juvenil em 49-50, e autor dos gols da final de 1951, 2 x 0 no Bangu.  Ponta-direita, ele jogou de centroavante porque o técnico Zezé Moreira afastou Carlyle por indisciplina.

CUCA NÃO VAI FAZER todo o percurso de 70 km. A ideia é de cumprir o restante do que Telê Santana caminhou. O técnico que pode ser campeão brasileiro hoje (2), se o Atlético vencer o Bahia, em Salvador, diz que “toda homenagem que puder ser feita para lembrar a memória de Telê Santana é mais que justa. Temos que preservar a história de figuras que fizeram a história como Telê Santana soube fazer, com muita competência e correção”.

Foto: NetFut / Hoje em Dia