ENTRE AS NOVIDADES da festa da Bola de Ouro de 2022, o Troféu Gerd Muller, em homenagem ao ex-atacante do Bayern Munique, artilheiro da Copa do Mundo de 1970 e detentor durante quase 50 anos do recorde de gols do Campeonato Alemão. Seu sucessor, Robert Lewandowski, alegre e emocionado, recebeu o prêmio.

LEWANDOWSKI resumiu: “Honra imensa ganhar um troféu com esse nome. Sei bem o que Gerd representa na história do futebol mundial”. As palavras deixaram a viúva Uschi e a filha Nicole emocionadas, ao entregarem o prêmio ao agora artilheiro do Campeonato Espanhol, em sua primeira temporada no Barcelona.

GERD MULLER faleceu aos 75 anos, em agosto de 2021. Quatro vezes campeão, marcou 40 gols no Campeonato Alemão de 1971-72. O recorde só foi superado por Lewandowski, com 41 gols, em 2020-21, em sua penúltima temporada no Bayern, antes de se transferir para o Barcelona. 

A LUVA DE OURO DO GOLEIRO DE 2 METROS

ENTRE OS 10 GOLEIROS de alto nível, estavam Alisson e Ederson, da seleção brasileira, que um dia antes voltaram a brilhar no clássico inglês Liverpool x City, mas a Luva de Ouro de 2022 foi ganha por Courtois, do Real Madrid. O goleiro belga de 2 metros superou também Ter Stegen, Lloris, Oblak e Mike Maignan.

CANHOTO, 30 ANOS, Courtois (pronuncia-se Curtuá) tem registro curioso: ganhou quatro títulos e disputou 154 jogos, tanto pelo Chelsea quanto pelo Atlético de Madrid, antes de chegar ao Real Madrid em 2018. Em menos de quatro anos, sete títulos e atuações extraordinárias, nenhuma igual à da final da Champions 2021-22.

COURTOIS foi o Homem do Jogo e o melhor goleiro da Champions, naquela final do sábado, 28 de maio de 2022, no Stade de France, em que o Real Madrid ganhou a 14ª Champions, ao vencer o Liverpool por 1 x 0, gol de Vinicius Jr aos 14 do 2º tempo. Um jogo marcante, histórico. O prêmio de melhor do mundo em um jogo.

A LUVA DE OURO homenageia Lev Yashin, melhor goleiro da história. Na primeira das quatro Copas, o primeiro a enfrentar Garrincha e Pelé, que estrearam juntos em 1958 (2 x 0, gols de Vavá). Yashin fez 78 jogos pela seleção, e tal qual Nilton Santos, só vestiu uma camisa, a do Dínamo de Moscou, em 326 jogos, em 22 anos.